bate papo FMESPERANÇANOSSA

SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

sábado, 21 de outubro de 2017

Vídeo da Avon com menino vestido de princesa tem mais de 30 mil não-curtidas

   
A Avon postou um vídeo em seu canal no YouTube questionando a forma como as mulheres são elogiadas. A empresa criticou o fato de as pessoas do sexo feminino sempre serem caracterizadas pela sua beleza, enquanto os homens por outras referências como coragem etc.

No vídeo a marca também criticou outros elogios que as mulheres recebem e chegou a mostrar um menino vestido de princesa. O vídeo já conta com mais de 30 mil deslikes.





fonte:http://www.ocongressista.com.br/


Líder mundial conservador recém eleito proíbe operações de George Soros na Áustria


O mais jovem líder do mundo, o conservador recém eleito Sebastian Kurz, informou George Soros que sua fundação Open Society tem 28 dias para parar e desistir de operações na Áustria ou enfrentar uma ação legal para ” tentar minar a democracia da nação.” O jovem eleito Sebastian Kurz informou George Soros de que sua Open Society Foundation tem 28 dias para cessar e desistir de operações na Áustria ou enfrentar ações legais. Sebastian Kurz, líder por cinco anos, disse aos colegas que as ações devem ser 
tomadas imediatamente, depois de notícias que George Soros doou US $ 18 bilhões de sua fortuna de US $ 24 bilhões para a Open Society Foundation. ” A situação tornou-se crítica ” , disse Kurz. ” Soros está jogando tudo o que ele tem por trás do seu impulso para o controle global. A desinformação e a manipulação de mídia já aumentaram exponencialmente durante a noite. Não temos espaço para complacência. ” A notícia de que Soros lançou 75% de sua grande fortuna para impulsionar sua agenda política e social causou ondas de choque em todo o mundo, com muitos líderes democraticamente eleitos, expressando o medo de que o peso total de seus bilhões, usado para comprar políticos e jornalistas, será difícil de lutar contra. Kurz concorda. É por isso que ele tomou medidas rápidas. Entende-se que o chanceler austríaco está se referindo ao número de economias nacionais que Soros destruiu para ganhar enorme lucro pessoal e inuência política
que cheira dinheiro, usando esse dinheiro para políticos corruptos, jornalistas e setor público, e tentando criar o mundo à sua imagem
fonte:s://expressodiario.com/

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Atirador diz ter se inspirado em ataques de Columbine e Realengo Menino de 14 anos que matou duas pessoas a tiros no Colégio Goyases, em Goiânia, afirmou sofrer bullying de colegas e que planejava o ataque há dois meses

   Tiroteio em escola de Goiânia (GO) - Colégio Goyases
Em depoimento prestado à Delegacia Estadual de Apuração de Atos Infracionais (Depai) de Goiás nesta sexta-feira, o menino de 14 anos que matou dois alunos a tiros no Colégio Goyases, em Goiânia, disse que planejava a ação há dois meses e que se inspirou nos ataques de Columbine (EUA) e de Realengo (Rio de Janeiro).“Ele (atirador) se inspirou em duas tragédias. Uma delas nos EUA, em Columbine, e outra em Realengo, aqui no Brasil. Dessa inspiração fez nascer a ideia de matar alguém”, afirmou o delegado Luiz Gonzaga Junior.
Ocorrido em abril de 1999, o massacre na Columbine High School, no Colorado, foi considerado um dos ataques a escola mais sangrentos da história dos EUA. Na época, dois alunos com armamento pesado invadiram o colégio e mataram 12 estudantes e um professor. Além disso, deixaram mais 21 pessoas feridas.
Já o de Realengo, na zona sul do Rio, aconteceu em 2011. Um ex-aluno da escola municipal Tasso da Silveira – Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos – invadiu uma sala de aula atirando e matou doze adolescentes.
Segundo o delegado, o atirador disse no depoimento que foi com a intenção de matar apenas o colega que fazia bullying contra ele. Mas depois de matar esse aluno, o menino de 14 relatou ter tido vontade de matar mais.
Tímido e reservado
O suspeito era considerado tímido e reservado, permanecia quase sempre afastado dos colegas, sendo que parte destes faziam bullying com ele por conta de um suposto mau cheiro.
O relato é de Thiago Barbosa, pai de Hyago Marques Barbosa, de 13 anos, um dos feridos pelos disparos que teriam vindo de um estudante de 14 anos, que contou a VEJA ter ouvido de colegas do filho que o atirador passou por uma situação de tensão no ambiente escolar.
Momentos antes do episódio, alunos entregaram jocosamente ao atirador um desodorante, como forma de ironizá-lo por conta do apelido de “fedorento” que haviam atribuído a ele. “Meu filho me conta tudo, ele já tinha me dito que tinha esse menino na sala, que era mais reservado, ficava na dele”, contou.
O tiroteio deixou dois mortos, João Vitor Gomes e João Pedro Calendo, com idades entre 10 e 12 anos. Outros quatro estudantes ficaram feridos – além de Hyago, Lara Fleury Borges, de 14 anos, Marcela Rocha Macedo, de 13 anos, e Isadora de Morais Santos, de 14 anos. O ataque teria ocorrido por volta das 11h40, cerca de vinte minutos antes do fim das aulas, quando o autor dos disparos teria saído e voltado à classe.
fontre:http://veja.abril.com.br

A CLIMAG – Centro de Educação e Saúde - oferece serviços de Psicologia com qualidade

   A imagem pode conter: texto
A CLIMAG – Centro de Educação e Saúde - oferece serviços de Psicologia com qualidade, profissionalismo e ética há 32 anos para crianças, adolescentes, e adultos. Convênio com PETROBRÁS e CABERJ. No programa “Saúde Mental para Todos” estamos com a agenda de novembro aberta para clínica social - consultas com preços populares. 
Reserve seu horário para avaliação psicológica: 
2593-7830 (Telefone)
96421-3514 (Whatsapp)

Movimento negro reclama de capoeira gospel: “apropriação cultural” Mistura de arte afrobrasileira com músicas de louvor é usado como instrumento de evangelização

 Resultado de imagem para person
Os cristãos do Brasil se notabilizaram por criar uma versão “gospel” de quase tudo que vem da cultura secular. Mas nem sempre essas versões evangélicas recebem o aval das igrejas. Um bom exemplo disso é a capoeira, a dança/luta afrobrasileira, que se popularizou principalmente por meio da palavra e do gingado de antigos mestres que se converteram.
As canções continuam sendo entoadas ao som de berimbau e atabaque, que embalam a ginga e os saltos mortais. Porém, ao invés de cânticos que enaltecem os orixás ou com referências à cultura negra, os versos são de louvor a Jesus Cristo. Em algumas rodas há momentos de pregação e oração.“Não deixa seu barco virar, não deixa a maré te levar, acredite no Senhor, só ele é quem pode salvar”, cantavam cerca de 200 pessoas durante o “1º Encontro Cristão de Capoeira do Gama”, realizado recentemente no Distrito Federal.
Elto de Brito, membro da Igreja Cristã Evangélica do Brasil e um dos palestrantes do evento explica: “Hoje é difícil você ir numa roda que não tenha um (capoeirista evangélico), e vários capoeiristas viraram pastores. É um instrumento lindo de evangelização porque é alegre, descontraído, traz saúde, benefícios sociais”.
Praticante da capoeira há 40 anos e convertido há 25, mestre Suíno é líder do movimento “Capoeiristas de Cristo”, que reúne cerca de 5 mil brasileiros. Desde 2004, promove encontros nacionais em Goiânia, mas a edição de 2018 ocorrerá pela primeira vez em Brasília. Ele calcula que já existam cerca de 30 “ministérios” de capoeira, com grupos ligados a igrejas evangélicas.“Há um cuidado para não chocar com as visões da igreja. Cuidado com a roupa, com o linguajar, com as músicas, mas que “não necessariamente tem que ser só música que fala de evangelho, de Deus” frisa.
Para a maioria deles, trata-se também de um instrumento de evangelização. “O pastor com berimbau chega aonde o pastor de terno não chega”, resume a professora de capoeira Laís Dutra.

Secular X gospel

Além do conteúdo das músicas existem outras diferenças entre a capoeira evangélica e a da “capoeira do mundo”. O pastor Gilson Araújo de Souza, da Igreja de Cristo Ministério Apostólico, também é mestre capoeirista em Manaus. Ele explica que nas rodas evangélicas a troca de corda não é chamado de “batismo” pois o termo não pode ser confundido com o que mandou Jesus.
Os capoeiristas também evitam o uso de apelidos, pois isso vem da época que a capoeira era perseguida. “No mundo cristão, Deus nos chama pelo nome. Antes, eu era conhecido como mestre Gil Malhado, hoje sou chamado de mestre pastor Gilson. Não preciso me camuflar”, esclarece.
Gilson lembra que no passado enfrentou muita dificuldade para levar a capoeira para a igreja. “O pastor batia a porta na minha cara, dizia que era coisa da macumba, que não podia. Hoje eu sou pastor e as portas se abriram”, testemunha.
O mestre Suíno acrescenta que a decisão de usar o termo “gospel” foi para quebrar antigas resistências. Contudo, hoje em dia repudia esse “rótulo”, ciente da polêmica que tem gerado.
“Não existe capoeira gospel! Não queremos bagunçar a capoeira. Nós respeitamos os mestres, respeitamos os fundamentos da capoeira, respeitamos as tradições, e vamos defender porque quem não defende a capoeira não tem direito de ser capoeirista”, declarou ele durante o evento no Gama, onde o lema deste ano foi “minha cultura não atrapalha a minha fé”.

Conflito cultural

Os capoeiristas tradicionalistas e o movimento negro não gostaram de ver uma versão evangélica da arte, reclamam que é uma forma de apropriação cultural e apagamento da raiz afrobrasiliera, uma vez que a capoeira surgiu entre os escravos, a partir do século 18.
Alguns desses líderes tradicionais reclamam que por vezes ocorre uma “demonização” da capoeira tradicional, bem como das religiões do candomblé e da umbanda, historicamente interligadas com a dança/luta.
Em maio, o Colegiado Setorial de Cultura Afrobrasileira, que pertence ao Conselho Nacional de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, divulgou a “Carta de repúdio à ‘capoeira gospel’ e à expropriação das expressões culturais afrobrasileiras”.
“Temos lutado contra o racismo em suas diversas e perversas manifestações. A demonização perpetrada por pastores, mestres ou professores de ‘capoeira gospel’, ensinando o ódio e a intolerância contra as raízes da capoeira e contra seus praticantes não evangélicos, é um crime de ódio que fere a liberdade e a dignidade humana”, diz o documento, cujo objetivo era protestar contra o 3º Encontro Nacional de Capoeira Gospel ocorrido em junho deste ano, em João Pessoa (PB).
O organizador do evento na Paraíba, Ricardo Cerqueira, mais conhecido como contramestre Baiano, que pertence à Igreja Batista deixa claro que sempre respeitou os grandes mestres da capoeira, mas entende que a “capoeira não pertence à cultura africana”.
“O país é laico. Acho que cada um tem liberdade para fazer a sua capoeira da forma que quiser. Colocamos o nome gospel sem intenção de descaracterizar a capoeira, até porque nós usamos todos os instrumentos e cantamos também música secular”, asseverou. Com informações de BBC

Senador Magno Malta detona "artistas" na CPI dos maus-tratos

.Senador Magno Malta detona "artistas" na CPI dos maus-tratos

Editorial: Palhaçada! Juiz devolve bilhões aos irmãos Batista da JBS

Jurista Modesto Carvalhosa assina a Adin - Ação Direta de Inconstitucionalidade - movida pelo PSL contra a lei que criou o Fundo bilionário para financiamento de campanhas. A lei ordinária é inconstitucional



quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Joice: As mentiras sobre a "Portaria do Trabalho escravo"


Nos jornais, na boca de políticos e de fiscais do Ministério do Trabalho as mudanças da portaria 1.129/2017 viraram “incentivo ao trabalho escravo”. FHC entrou nessa. É uma malandragem sem tamanho. Entenda Entre no nosso site: http://jovempan.uol.com.br/ Curta no Facebook: http://jp.com.br/ospingosnosisoficial Siga no Twitter: https://twitter.com/portaljovempan Instagram: https://www.instagram.com/radiojovempan/



Comentarios