SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sábado, 30 de abril de 2016

JÔ SOARES DEFENDE JOSÉ DE ABREU, PASSA DO PONTO E É OBRIGADO A SE DESCULPAR

Jô Soares - Foto/Reprodução: TV Globo
Jô Soares - Foto/Reprodução: TV Globo

Apresentador chorou e disse que precisava ser mais profissional após fazer discurso inflamado

O apresentador Jô Soares passou o último ano negando veementemente que seja defensor de algum partido ou da presidente da república Dilma Rousseff. No programa que foi ao ar nesta quarta-feira, 27, no entanto, ele defendeu também de forma tão forte artistas ligados ao Partido dos Trabalhadores (PT), que ao voltar de um intervalo precisou se desculpar. Jô disse que deveria ter sido mais profissional em seu programa, mostrando que até ele mesmo achou que tinha exagerado. Antes disso, ele defendeu o ator José de Abreu, que cuspiu em um casal em um restaurante de São Paulo após ser ofendido. Ele também fez defesas a Chico Buarque, que subiu em palanques políticos contra o impeachment de Dilma. Em dado momento, Jô até chorou. Tudo isso em meio ao quadro 'Meninas do Jô', que discute política. As jornalistas convidadas praticamente não falavam e viam Jô mostrar as próprias ideias, sem dar muito espaço para o confronto. No momento em que ele pediu desculpa elas pareciam estar espantadas. 
Para Soares, o Brasil vive uma intolerância política e comparou o ato do casal ofender Abreu aos piores deputados da Câmara. Diga-se de passagem, quase uma semana após o episódio, ele foi o primeiro artista a defender explicitamente as cusparadas do profissional da dramaturgia. "Ele foi obrigado a ouvir insultos terríveis", disse Jô, que argumentou que o ator fez tudo aquilo porque não aguentava mais. Jô disse que Zé foi condenado por conta de sua opinião e que isso sim é lamentável. Em nenhum momento, ele criticou os cuspes que partiram do ator. Quem também sofreu críticas explícitas do apresentador foi o deputado federal Jair Bolsonaro, eleito pelo PSC do Rio de Janeiro. O comunicador fez declarações novamente polêmicas por conta da homenagem de Jair ao Coronel Brilhante Ustra, considerado um dos maiores torturados da ditadura e que teria quebrado a mandíbula da presidente Dilma enquanto ela esteve em seu cativeiro. "Nenhuma sociedade do mundo aceita gente torturadora", disse o apresentador, dessa vez, recebendo o apoio das 'Meninas'.
FONTE:http://br.blastingnews.com/
Postar um comentário

Comentarios