SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Gilmar Mendes aciona a PF por irregularidades em milhares de votos nas eleições de 2014 no 1º e 2º turno


O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes solicitou à Polícia Federal e à Procuradoria­Geral da República que façam uma investigação sobre possíveis irregularidades detetadas no registro de milhares de votos, tanto no primeiro quanto no segundo turno das eleições de 2014. Segundo a Folha publicou nesta quinta­feira, 9, "A suspeita de irregularidade surgiu após um cruzamento de dados realizado pela área técnica do tribunal sobre a relação de votantes e os eleitores que
justificaram ausência nas urnas". De acordo com o cruzamento de informações, há casos que chamam a atenção, como na cidade de Bom Lugar (MA). Em uma única urna, foram encontrados registros de votos de 18 eleitores que também justificaram a ausência na eleição. Estes eleitores informaram posteriormente à Justiça Eleitoral que não chegaram a votar. "Nós suspeitamos que alguns casos podem decorrer de erros administrativo, mas como há coincidência muito expressiva em algumas sessões eleitorais, a preocupação é que possa ter ocorrido algum tipo de distorção. Em alguns locais, é [um erro] muito expressivo. As pessoas justificaram o voto e aparecem como votantes. É preciso esclarecer", afirmou Gilmar Mendes. Apenas numa investigação preliminar, já foram detectadas irregularidades no registro de cerca 77 mil votos nas eleições de 2014. O presidente do TSE enviou à Polícia Federal e à Procuradoria­Geral da República pedido de investigação por suspeitar que este número pode ser maior. 
fonte:http://www.imprensaviva.com
Postar um comentário

Comentarios