SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

domingo, 5 de junho de 2016

Jarbas Passarinho, ex-ministro da Justiça, morre aos 96 anos Estado do Pará decretou luto oficial de três dias. Passarinho foi ministro do Collor

Morreu na manhã deste domingo (5), em Brasília, Jarbas Passarinho, ex-ministro da Justiça.  Passarinho estava com 96 anos e morreu em decorrência de problemas de saúde devido à idade avançada. O velório será na capital federal, assim como o enterro, que está programado para iniciar às 16 horas, no Campo da Esperança, na Asa Sul.
O Governo do Pará decretou luto oficial por três dias por conta da morte do ex-governador e ex-senador do estado.
Nascido em Xapuri, no Acre, Jarbas Passarinho iniciou sua trajetória política no Pará, estado que governou entre os anos de 1964 a 1966.
No Senado, conquistou três mandatos e atuou como Ministro do Trabalho, Ministro da Educação e Ministro da Previdência Social no governo militar, além de ter sido Ministro da Justiça no governo Fernando Collor, entre outubro de 1990 e abril de 1992.
Passarinho foi filiado ao Arena, partido político que apoiou a Ditadura. Em dezembro de 1968, como ministro do governo, foi um dos responsáveis pelo Ato Institucional número cinco, que instituiu a censura prévia aos órgãos de imprensa, músicas e espetáculos de teatro; proibiu manifestações populares; impediu a concessão de hapeas corpus para crimes político e deu poderes ao governo para cassar o direitos políticos de qualquer cidadão por dez anos.
Em 2014, após quase três anos de trabalho, a Comissão Nacional da Verdade confirmou, no relatório final, um total de 434 mortes e desaparecimentos de vítimas da ditadura militar no país. Entre essas pessoas, 210 são desaparecidas.
fonte:http://noticias.r7.com
Postar um comentário

Comentarios