bate papo FMESPERANÇANOSSA

SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

terça-feira, 5 de julho de 2016

Eles aparafusam garrafas plásticas em um pedaço de papelão e penduram na janela. O ar circula diferente agora.

Em muitos lugares ao redor do mundo as pessoas não têm acesso aos luxos que a gente não dá valor: eletricidade, internet, água corrente, ou até mesmo itens básicos como comida e água limpa. Adicione a isso as insuportáveis temperaturas de verão em lugares como a Índia e metade da população não trabalha na maior parte da tarde. Mas há esperança para a situação deles!
Mais de 28.000 pessoas vive em uma pequena área chamada Daulatdia em Bangladesh. Elas estão amontoadas em casebres sem água corrente, e a temperatura dentro e fora de casa vai além dos 45ºC.
YouTube/#TalkToMe
Algo tinha que ser feito, então eles inventaram o primeiro ar-condicionado sem eletricidade.
YouTube/#TalkToMe
Ele é feito com um pedaço de papelão duro e uma série de garradas plásticas recicladas. Os fundos e os pescoços das garrafas são cortados e depois colocados nos furos feitos no papelão.
YouTube/#TalkToMe
Quando todas as garrafas já estão no lugar, o papelão é colocado na frente da porta ou janela. O efeito refrigerador é imediato.
YouTube/#TalkToMe
O ar quente entra nas garrafas  pelo lado de fora e depois manda um ar mais frio pra fora pela passagem do fino pescoço. Este princípio é similar ao efeito de quando você exala dentro da sua mão com a boca aberta ou com os lábios apertados. Veja você mesmo a diferença!
YouTube/#TalkToMe
Esta solução simples pode refrescar um espaço interno em mais de doze graus celsius negativos. Que alívio para as pessoas que passam por temperaturas extremas diariamente.
YouTube/#TalkToMe
Inúmeras aldeias já começaram a usar o mais simples ar-condicionado do mundo. 
YouTube/#TalkToMe
Aqui está um vídeo que mostra exatamente com este sistema funciona:
Este sistema não apenas leva ar fresco para os casebres superaquecidos, como também é uma ótima maneira de encorajar a coleta de garrafas de plástico usadas das ruas e reciclá-las.
fonte:http://www.naoacredito.com.br/
Postar um comentário

Comentarios