SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quinta-feira, 21 de julho de 2016

‘O pior’: inflação sobe 700% e PIB cai 10% na Venezuela em 2016 Neste ano, nenhum país terá um desempenho econômico tão ruim quanto a Venezuela, segundo o FMI

Filas enormes em supermercado na cidade de San Felix, na Venezuela
Filas em supermercados têm sido uma das marcas da crise econômica venezuelana (VEJA.com/Reuters)

A Venezuela fechará o ano de 2016 com seu Produto Interno Bruto (PIB) em queda livre de 10% e uma inflação superior a 700%, afirmou nesta quarta-feira o Fundo Monetário Internacional (FMI), ao atualizar suas previsões econômicas anunciadas em abril. Trata-se do “pior desempenho em matéria de crescimento e de inflação em nível mundial”, segundo o economista-chefe do Fundo para América Latina, Alejandro Werner.
Na revisão de suas projeções, o Fundo reduziu em dois pontos porcentuais sua expectativa de crescimento da economia venezuelana em relação a abril. Para 2017, a previsão foi mantida em contração de 4,5%.

 

Segundo o FMI, as condições da economia da Venezuela “continuam deteriorando-se, com distorções das políticas e desequilíbrios fiscais que continuam sem se resolver”, embora o déficit na geração de energia, que marcou a crise, tenha tido um peso significativo, explicou o Fundo.
“Em uma situação tão crítica como a atravessada pela Venezuela, em que vemos a maior contração econômica no mundo e que representa uma retração acumulada dos últimos três anos, a incerteza para fazer prognósticos é muito elevada”, disse Werner.
fonte:http://veja.abril.com.br
(Com AFP)

Postar um comentário

Comentarios