bate papo FMESPERANÇANOSSA

SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Quatro pessoas ligadas ao terrorismo tentaram se credenciar para Olimpíada Ao todo, 61 brasileiros com mandados de prisão também tentaram credencial. Comitê Rio 2016 foi recomendado a negar credenciais para 11 mil pessoas.

  
O Centro Integrado Antiterrorismo (Ciant), que tem sede em Brasília, fez um monitoramento nos pedidos de credenciamento para Olimpíada. Eles descobriram que 40 pessoas estão com alertas a respeito de cooperação internacional. O Fantástico mostrou, neste domingo (17), que quatro delas têm comprovadamente ligação com o terrorismo.

Elas tiveram as credenciais negadas e estão sendo monitoradas pelos serviços internacionais de inteligência. Os nomes, as nacionalidades e as acusações estão sob sigilo. O Ciant, que monitora todos os tipos de credenciamento, descobriu ainda que 61 brasileiros com mandado de prisão por crimes diversos entraram com pedido de credencial.

A Copa do Mundo no Brasil teve 350 mil pedidos de credenciais. A Olimpíada de Londres, 450 mil. Já para Olimpíada do Rio: “Aproximadamente 460 mil inspeções já foram feitas e destes 460 mil, aproximadamente 11 mil foram indicados para não-credenciamento”, contou Andrei Augusto Passos Rodrigues, coordenador nacional de segurança dos Jogo do Rio.

Isso quer dizer que, por segurança, o Ciant recomendou ao Comitê Rio 2016 que negasse credenciais para quase 11 mil pessoas.

Um mapa do Rio é uma das ferramentas do Ciant. O Fantástico entrou nesse setor, mas não pôde fazer imagens nem dos equipamentos, nem dos agentes. “Todos os pontos que entendemos pertinentes para a segurança foram identificados”, afirmou Andrei.

Pontos vermelhos são hotéis que irão receber os estrangeiros que irão compor a família olímpica; o ponto verde são os consulados; os pontos azuis são os locais de competição; e os pontos amarelos, os locais de treinamento das delegações.

“Fizemos uma varredura em todos os bancos de dados nacionais e também no âmbito da cooperação internacional, um rastreamento das informações nesses parceiros globais. Os países que fazem parte do Ciant são os Estados Unidos, a Espanha, a França, o Reino Unido, a Argentina, a Bélgica e o Paraguai”, contou o coordenador.

A Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos e a Polícia Federal desenvolveram um aplicativo para denúncias e compartilhamento de informações durante os Jogos.

“São mais de 2 mil pessoas que nós vamos fazer a capacitação direta, além dos 20 mil voluntários, e que trabalham na rede hoteleira, no sistema de transporte público, em concessionárias de serviços públicos, e que estarão diretamente envolvidas durante a realização dos jogos”, disse Andrei.

Treinamento
Na sede do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal (COT), em Brasília, os agentes treinam para segurança da Olimpíada do Rio. Cada movimento é pensado, ensaiado, repetido, preciso.

Eles usam técnicas de escalada e contam com uma nova frota de blindados. Ele tem uma plataforma de ataque e dá acesso rápido a casas, prédios, muros e telhados. E o uniforme, de última geração, protege os policiais.

São filtros, máscaras, luvas, botas e tecidos que impedem o contágio químico, biológico, radiológico --- e nuclear.

Postar um comentário

Comentarios