SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Bolt conquista o tri nos 100m e confirma status de lenda Jamaicano faz história mais uma vez e leva sua terceira medalha de ouro na prova mais nobre do atletismo

Antes da Rio-2016, o jamaicano Usain Bolt afirmou a VEJA que se conquistasse o tricampeonato olímpico nos 100m, nos 200m e no revezamento 4x100m seria grande – “do tamanho de Pelé e Muhammad Ali”. O primeiro passo deste ambicioso objetivo foi dado neste domingo, no Engenhão, quando Bolt deixou o rival Justin Gatlin para trás para vencer os 100m rasos pela terceira vez em uma Olimpíada. O jamaicano confirmou o status de lenda olímpica ao cravar 9s81, se tornando o único velocista a conquistar três medalhas de ouro na prova mais nobre do atletismo, depois das vitórias em Pequim-2008 e Londres-2012.Em mais uma exibição impressionante, Bolt começou a prova no Engenhão atrás do americano Gatlin, que imprimiu um forte ritmo e tomou a dianteira após a largada. A partir da metade dos 100 metros, porém, o jamaicano mostrou uma aceleração explosiva e atropelou os rivais, cruzando a linha de chegada a uma distância considerável dos outros corredores. A prata ficou mesmo com Gatlin, que terminou a prova em 9s89. O canadense Andre DeGrasse, que cravou 9s91, levou o bronze.

Festa – Astro mais carismático da Rio 2016, Bolt levou o público – que torcia em peso por ele – à loucura com a vitória. Na volta olímpica após a vitória, fez a alegria dos torcedores ao brincar com um bicho de pelúcia do mascote da Rio-2016 e fazer o tradicional sinal de raio para as câmeras.
O jamaicano de 29 anos chegou no Rio com a missão de garantir o título e não se deixar superar pelo rival americano Justin Gatlin, que vinha mostrando melhor desempenho na última temporada. Com a missão cumprida com louvor, Bolt agora supera o americano Carl Lewis, bicampeão olímpico em 1984 e 1988.

A viagem de Bolt



Postar um comentário

Comentarios