SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Bombardeiros dos EUA sobrevoam Seul para advertir a Coreia do Norte Bombardeiros foram escoltados por F-15K sul-coreanos e F-16 americanos. Norte-coreanos realizaram teste nuclear na última sexta-feira (9).

Bombardeiro B-1B dos EUA voa escoltado por aviões de combate norte-americanos e sul-coreano (Foto: Kim Hong-ji / Reuters)Bombardeiro B-1B dos EUA voa escoltado por aviões de combate norte-americanos e sul-coreano (Foto: Kim Hong-ji / Reuters)
Dois bombardeiros supersônicos da Força Aérea dos Estados Unidos sobrevoaram nesta terça-feira (13) a Coreia do Sul, como sinal de advertência ao regime norte-coreano de Kim Jong-un, após seu recente teste nuclear.
Ladeados por aviões de combate F-15K sul-coreanos e F-16 americanos, os dois bombardeiros estratégicos B-1B Lancer realizaram um voo a baixa altitude da base de Osan, localizada a 50 km de Seul, informaram as Forças dos EUA na Coreia do Sul (USFK, na sigla em inglês).

Com a implantação dos dois bombardeiros, trazidos expressamente desde a base americana de Guam, no Pacífico, a Coreia do Sul e os EUA querem enviar a Pyongyang uma mensagem que "estão preparados para responder às ameaças contra a estabilidade e a segurança" na região, segundo o A demonstração de força é "só um exemplo das diversas capacidades militares que fazem parte dos recursos desta sólida aliança para proporcionar e reforçar uma ampla dissuasão", afirma o general Vincent Brooks, comandante das USFK, citado na nota.
O general acrescentou que o teste nuclear realizado na última sexta-feira (9) pela Coreia do Norte "representa uma perigosa escalada (armamentista) e uma ameaça inaceitável". Ele ressaltou o "compromisso inabalável dos EUA de defender seus aliados na região".O voo de bombardeiros americanos sobre a Coreia do Sul, algo incomum fora da margem das manobras militares conjuntas que os aliados realizam periodicamente, poderia gerar novas ameaças da Coreia do Norte em um ambiente marcado pela forte tensão desde o teste nuclear da sexta-feira passada.
Este teste, o quinto e o mais potente até o momento, gerou uma grande preocupação já que segundo Pyongyang serviu para supostamente testar "com sucesso" a miniaturização de ogivas nucleares sobre os mísseis de seu nutrido arsenal.
fonte:http://g1.globo.com/
Postar um comentário

Comentarios