SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

terça-feira, 13 de setembro de 2016

PRESENÇA DE LULA NA POSSE DE CÁRMEN LÚCIA EMPORCALHA AINDA MAIS A IMAGEM DO STF Ex-presidente, que se encontra indiciado por corrupção ativa, passiva, lavagem de dinheiro e por obstrução de justiça, foi prestigiar a posse da nova presidente do STF

  
A imagem do STF já vai de mal a pior ante a sociedade. A corte é vista como desconectada da realidade, pusilâmine em relação a corrupção, altamente garantista com os réus e contaminada pelo pior tipo de ranço ideológico. De longe, tem sua pior formação em todos os tempos.

É por isso que a presença de Lula na posse de Cármen Lúcia piora o que já era muito ruim. Não estivesse respondendo tantas acusações e nem envolvido de forma tão direta no escândalo do Petrolão, seria normla que prestigiasse a cerimônia, até por ele ter sido o responsável pela indicação da nova presidente do STF. Mas não era o caso. Lula se encontra indiciado por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e obstrução de justiça. Ainda que seja juridicamente considerado inocente até seu julgamento final, o fato é que sua aparição lá foi absolutamente, inadequada, ofensiva e indecorosa. Também não é preciso lembrar que, flagrado nas escutas autorizadas por Sérgio Moro, o ex-presidente apareceu fazendo pouco da casa, dizendo se tratava de uma corte "totalmente acovardada". Falou de Rosa Weber em linguagem chula, usando a expressão "mulheres de grelo duro" para caracterizá-la.

A sensação de quem viu a coisa de casa era de que tudo não passava de um teatro, de um deboche com a população. Celso de Mello aproveitou para fazer suas ponderações sobre ética, citando inclusive o falecido Ulysses Guimarães. Cármen Lúcia até quebrou o protocolo e cumprimentou, antes do presidente Michel Temer, "sua excelência, o povo". Nada disso adiantou, até porque as palmas para todas essas belas palavras vieram da plateia formada por uma pletora de réus.
fonte:http://www.sulconnection.com.br
Postar um comentário

Comentarios