SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Tratamento pioneiro contra o câncer de mama é capaz de matar o tumor em 11 dias

undefined
Toda e qualquer notícia sobre novas descobertas da medicina merecem ser celebradas, como essa e essa.
Mais recentemente, um tratamento pioneiro contra o câncer obteve resultados inesperados ao eliminar ou encolher tumores na mama em apenas 11 dias, tudo isso graças a uma nova combinação de remédios.
O estudo foi feito na Universidade de Manchester, no Reino Unido, e divulgado nesta quinta-feira (10) na Conferência Europeia de Câncer de Mama e especialistas consideraram os dados apresentados “espantosos”.
Trata-se de um tratamento novo, foi feito com a combinação de dois medicamentos – o trastuzumab e o lapatinib -, que devem ser administrados antes da cirurgia de remoção de um dos tipos mais agressivos da doença, o HER2 positivo.
O estudo foi realizado com 257 mulheres com a doença, que foram divididas em três grupos:
O grupo de controle não tomou nenhuma das substâncias, o segundo grupo que recebeu o trastuzumab, normalmente receitado após a cirurgia. E o terceiro grupo que recebeu a combinação do trastuzumab com o lapatinib.
Deste último grupo, 87% demonstrou alguma redução de células cancerosas. Em 28% dos casos, a combinação causou uma “redução significativa”. Em 11% o tumor desapareceu completamente.
O estudo queria testar a combinação para saber se os medicamentos são efetivos no combate às células do câncer. 11 dias depois, os cirurgiões operariam. Mas os médicos não esperavam que em muitos casos os tumores sumiriam ou diminuiriam.
“Tumores sólidos desaparecerem em 11 dias é uma coisa desconhecida. Esses resultados são inacreditáveis de tão bons”, disse o professor Nigel Bundred, chefe da pesquisa, ao jornal britânico “Telegraph“.
Embora os resultados sejam surpreendentes, pesquisadores afirmam que mais estudos serão necessários. Leia a reportagem na íntegra (em inglês) aqui.
Postar um comentário

Comentarios