SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sábado, 5 de novembro de 2016

Membro do MST eleito vereador pelo PT foi preso no interior do Paraná

MST - greve - impeachment

Claudelei Torrente de Lima foi o vereador mais votado de Queda do Iguaçu, no interior do Paraná. Mas a Polícia Federal agiu a tempo e o prendeu antes que o mandato se iniciasse. Ele e outros sete integrantes do MST foram detidos por suspeita de roubo, invasão de propriedade, incêndio criminoso, cárcere privado e porte ilegal de arma. Há ainda seis alvos sendo procurados. Inclusive um dirigente nacional do Movimento Sem Terra.
Sim, o partido do vereador é o PT.
A notícia pode tirar o sono de Edinho Silva. O ex-ministro de Dilma Rousseff foi nomeado pela petista à SECOM assim que a Lava Jato se aproximou de Brasília. Desta forma, recebeu foro privilegiado e blindou-se de Sérgio Moro até o afastamento dela em 12 de maio de 2016.
Edinho foi o tesoureiro da campanha que reelegeu Dilma. E já foi personagem de algumas delações apresentadas à Lava Jato. Destaca-se a do presidente da Andrade Gutierrez, que disse ter sido pressioando a doar à campanha da então presidente. O ex-ministro até poderia explicar isso melhor à Lava Jato em Curitiba, mas o petista elegeu-se agora prefeito de Araraquara, São Paulo, reconquistando o foro privilegiado.
A prisão do membro do MST, contudo, mostra que os investigadores não estão muito preocupados com o resultado das eleições. E que podem agir até o dia da posse deles. A de Edinho é só em janeiro.

Postar um comentário

Comentarios