SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Adriana Ancelmo aparece com uniforme semelhante ao de Cabral em foto da prisão

Cabral e Adriana com uniformes da Seap
Adriana Ancelmo deixou para trás as joias caras e roupas de marca que marcaram sua vida como primeira-dama do Estado do Rio de Janeiro. No presídio Joaquim Ferreira, ela foi obrigada a adotar o uniforme padrão das detentas da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), um conjunto verde muito parecido ao usado pelo marido, o ex-governador Sérgio Cabral.Nas imagens, Adriana aparece de cara lavada, com os cabelos presos para trás. A advogada também está usando brincos pequenos e uma pulseira modesta no braço esquerdo.Questionada sobre o uso dos acessórios, a Seap informou que "as internas são autorizadas a utilizar brincos pequenos".
Ainda segundo o órgão, o que Adriana Ancelmo leva no pulso esquerdo são dois escapulários.
"É autorizado a toda interna utilizar esse ou outro qualquer adereço religioso", informou a secretaria.
Ex-primeira-dama se apresentou à Justiça Federal
Acusada de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa pela força-tarefa da Lava-Jato no Rio, Adriana teve a prisão decretada pela Justiça Federal e se apresentou por volta das 17h desta terça-feira ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Isso aconteceu 19 dias após a o marido Sérgio Cabral, apontado como chefe do grupo que desviou ao menos R$ 224 milhões em obras com diversas empreiteiras - como a reforma do Maracanã e do Arco Metropoliltano - em troca de aditivos em contratos públicos e incentivos fiscais.
O esquema com empreiteiras bancou uma vida de luxo para Cabral, Adriana e outros envolvidos. O dinheiro de propina pagou viagens internacionais, idas a restaurantes sofisticados, uso de lanchas e helicópteros e compras de joias.
Uma das joias foi um anel avaliado em 800 mil reais que Adriana recebeu de presente durante uma viagem a Mônaco. O anel foi pago pelo empresário Fernando Cavendish, ex-dono da construtora Delta.
Cabral teria se utilizado também de um sistema de contabilidade paralelo da joalheria Antonio Bernardo.Segundo uma gerente, o ex-governador comprou mais de 5 milhões de reais em joias por esse sistema. Na joalheira H.Stern, Cabral teria comprado joias no valor de 2 milhões de reais. As compras eram feitas em dinheiro vivo, sem a emissão de notas fiscais.


FONTE: http://extra.globo.com
Postar um comentário

Comentarios