bate papo FMESPERANÇANOSSA

SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

‘Vou ficar com Carrie’, disse Debbie Reynolds antes de morrer A atriz morreu aos 84 anos, um dia após a morte de sua filha, Carrie Fisher, de 60 anos




Debbie Reynolds e Carrie Fisher, durante evento em Los Angeles, em 2015 (Ethan Miller/Getty Images)

As últimas palavras da atriz e cantora Debbie Reynolds, falecida um dia após a filha, Carrie Fisher, foram reveladas por seu filho, nesta quinta-feira. “Ela foi ficar com Carrie. Na verdade, essas foram as últimas palavras que ela falou naquela manhã”, disse Todd Fisher, que perdeu a mãe e a irmã em apenas dois dias, ao site E! News.

Reynolds, de 84 anos, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) na quarta-feira, enquanto discutia detalhes do funeral da filha na casa de Todd. “Ela segurou a barra lindamente, claro, nos últimos dias, mas estava sob muito estresse e emoção por causa da perda de Carrie”, disse Todd. “Foi basicamente o que motivou sua morte”.Ao anunciar a morte da mãe, ainda no hospital Cedars Sinai, Todd já havia relatado que Debbie disse que “queria ficar com Carrie” cerca de 15 minutos antes de sofrer o AVC. Carrie, que se tornou célebre como a princesa Leia nos filmes de Star Wars, morreu na terça-feira aos 60 anos depois de sofrer um ataque cardíaco na sexta-feira passada.

Debbie Reynolds recebeu o Prêmio Humanitário Jean Hersholt no ano passado e se consagrou no filme Cantando na Chuva, em 1952. Ela foi indicada ao Oscar por seu papel em A inconquistável Molly, em 1964, e ajudou financeiramente um grupo que trabalhava com pessoas vítimas de problemas mentais.
fonte:http://veja.abril.com.br/
Postar um comentário

Comentarios