SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Quebre os ídolos do seu coração, não os ídolos católicos! Que possamos cuidar mais da nossa idolatria, e menos da idolatria alheia.

         Resultado de imagem para PASTORA QUEBRANDO IMAGEMNão é difícil quebrar ídolos do Catolicismo Romano, afinal sempre tem uma igreja (com um dentro) perto de quem deseja fazer tal ato (estupido).
Basicamente é necessário ter bastante coragem, pois em um país predominante católico a represaria é certa, e mais do que coragem é necessário ter bastante falta de respeito com a fé do próximo.
Infelizmente, uma grande maioria de cristãos protestantes identifica a idolatria somente onde percebe uma escultura de imagem (estátua). Dessa forma ele está sempre identificando idolatria no outro, ou seja está ignorando (a sua idolatria), a trave em seu olho, e cuidando do cisco no olho do próximo (Mateus 7:5 ), ou pra ficar mais claro estamos “coando um mosquito, mas engolindo um camelo”.Idolatria vai além de imagens de esculturas ou símbolos religiosos, idolatria mesmo é tudo aquilo que é atribuído valor absoluto (Mateus 6:21) e que ocupa o lugar onde deveria caber só Deus em nossa vida. Com isso, estou dizendo que tudo (absolutamente tudo) pode ser (ou vir a ser) um ídolo, desde objetos à relacionamento (até famílias) e inclusive convicções religiosas.
Diria até que nos dias de hoje, a religião das pessoas é um grande (perigoso) ídolo.
O maior problema é pensar que apenas “imagens de esculturas” são ídolos, e passarmos a ignorar uma porção de coisas que são boas, mas que de tão boas que são se transformaram em um ídolo.
Sem que percebêssemos, construímos um altar para ela, e nos achegamos nesse altar religiosamente e ali preenchemos nossa carência de sentido de vida com o ídolo que se quer acreditamos que seja um ídolo, pois não é de gesso, nem de madeira ou de outro material que pode ser moldado pelo artesão.
Tristemente, é mais difícil quebrar esses ídolos que foram instalados sutilmente em nossos corações do que quebrar outros que existem de forma visível. Pois os ídolos de nossos corações são ídolos que eu chamaria de estimação, estão domesticados (acostumados) e, além do mais, estão sempre presente em nossa vida, não importa onde estamos nós os carregamos conosco.
Uma vez um pastor pregou o evangelho de forma peculiar, como infelizmente poucos pregam hoje em dia, e um visitante que o ouviu pregando, pediu para que ele não fosse embora pois iria até a sua casa e já voltaria, e então voltou trazendo diversas imagens de esculturas dentro de um saco enorme (cheio delas), e entregou ao pastor.
Pastor: Estão todos os ídolos aqui?
Visitante: Sim pastor, estão todos aqui, esvaziei o meu quarto inteiro, sala e corredor, não tem mais nenhuma estatua em toda a minha casa.
Pastor: Senhora, estão todos aqui nesse saco, no seu coração não ficou nenhum?
Tem pessoas que querem fazer com a próprias mãos (Zacarias 4:6) algo que só a ação do verdadeiro evangelho pode realizar, que é consciência que recebemos através do Espirito Santo, consciência essa que nos esclarece (através de um autoexame) apontando para nós os nossos ídolos (falsos deuses) de nossos corações (alguns foras, outros dentro dele) mostrando como estes estão ocupando o lugar de Deus e dizendo que devem ser quebrados.
Que possamos cuidar mais da nossa idolatria, e menos da idolatria alheia.
Quebre cada um o seu ídolo, e não o de outro.
FONTE:https://noticias.gospelmais.com.br
Postar um comentário

Comentarios