SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Cantora gospel deixa marido para se casar com amiga íntima Em uma viagem de carro, Rosânia criou coragem e se declarou para Lanna que também confessou estar apaixonada

Resultado de imagem para lanna holder e a cantora
Rosânia resolveu contar como aconteceu o caso das duas, que são casadas há 15 anos
Muitas pessoas do meio gospel conhecem a história de Lanna Holder, pastora assumidamente lésbica que mantém um ministério inclusivo ao lado de sua esposa, a cantora Rosânia Rocha. No entanto, poucos sabem como foi dramática e caótica a história de aceitação do casal e, principalmente, o conflito religioso no qual as duas acabaram se inserindo. Por isso, Rosânia resolveu contar, em suas palavras, como aconteceu o romance das duas, que são casadas há 15 anos, em um artigo para o site da revista “Sou Mais Eu”.
Rosânia, que nasceu no interior de Minas, cresceu numa família evangélica e aos 20 anos se mudou para Boston, nos Estados Unidos. Foi numa igreja da cidade americana que conheceu João, pastor que viria se tornar seu marido, sendo mãe logo na sequência.
“Eu nunca amei o João de verdade. Éramos muito parceiros, crescemos juntos e nos respeitamos bastante. Mas se eu dissesse que sentia atração por ele, mentiria. De toda forma, o sexo nunca foi uma questão para mim. Durante um tempo pensei até em procurar um médico porque eu simplesmente não tinha vontade, não me interessava, e me sentia muito mal porque eu não conseguia corresponder a ele”, explicou a cantora à publicação.
Foi em um compromisso como cantora gospel que ela conheceu Lanna Holden, em 2002. Na época, Lanna era considerada o “Silas Malafaia de saias” e percorria o Brasil pregando que Deus a havia “curado” da homossexualidade. Ela se definia claramente como uma ex-lésbica, e já tinha um marido e um filhinho, ainda bebê. O sucesso da Lanna era tanto que ela foi convidada para pregar nos Estados Unidos, exatamente na igreja de Rosana.
Resultado de imagem para lanna holder e a cantora
A partir daí as duas se tornaram amigas íntimas. Em uma viagem de carro, Rosânia criou coragem e se declarou para Lanna que também confessou estar apaixonada. Depois do primeiro beijo em um hotel, as duas passaram a se evitar porque se sentiam culpadas. “Eu não acredito que Deus aprovava o que gente fazia, afinal, as duas eram casadas. Mas eu sei que Deus conhecia nosso coração e que era amor verdadeiro. Descobri um prazer que eu nunca tinha experimentado e foi tudo muito natural”, explicou Rosânia.
As duas se divorciaram de seus maridos. Para Lanna o término foi mais fácil, mas Rosânia recebeu ameaças do ex e do próprio irmão. Além disso, havia o conflito interno equivocado de estar ferindo os princípios da religião evangélica. As duas buscaram nos estudos teológicos o respaldo para viverem um grande amor.
“Descobri que Deus também ama os homossexuais e abençoa o amor entre pessoas do mesmo sexo. Tem muita gente por aí que distorce trechos da palavra de Deus ou que não estuda adequadamente e acaba usando versículos fora de contexto para condenar as pessoas, ao invés de amá-las como Jesus ensinou”, explicou a evangelista.
Igreja para fiéis LGBT
Atualmente, Lanna Holder e Rosânia Rocha têm um ministério que acolhe o público LGBT na cidade de São Paulo há sete anos. A Igreja Cidade de Refúgio, assim com o as igrejas tradicionais, conta com cultos, eventos, conferências e trabalhos filantrópicos. “Eu nunca pensei que voltaria para o Brasil, mas foi aqui, na cidade de São Paulo, que Deus realizou a promessa de abençoar pessoas LGBT por meio do nosso ministério. Somos pastoras, continuo servindo a Deus com a minha voz e levamos o amor de Jesus a todos, sem distinção”
(Metrópole)
fonte:http://www.gospelgeral.com.br
Postar um comentário

Comentarios