SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Desfile da Escola de Samba X-9 Paulistana válida pelo Grupo Especial, no Sambódromo do Anhembi em São Paulo (SP), neste domingo (07) Desfile da Escola de Samba X-9 Paulistana válida pelo Grupo Especial, no Sambódromo do Anhembi em São Paulo (SP), neste domingo (07) (Edson Lopes Jr./VEJA.com) A escola de samba X-9 Paulistana terá que restituir 368.302,61 reais aos cofres do Ministério da Cultura, de acordo com publicação no Diário Oficial da União desta terça-feira. A prestação de contas da escola, que usou de recursos públicos em seu desfile de 2016, foi reprovada. A assessoria da agremiação disse à reportagem que VEJA que ainda não foi notificada pelo MinC.O projeto apresentado pela agremiação em 2015, com vistas ao Carnaval do ano seguinte, obteve aval para captar 1,5 milhão de reais, dos quais 351.195,22 foram arrecadados. Segundo dados do Ministério, os maiores apoiadores da agremiação foram uma empresa de coleta de lixo da Grande São paulo e uma produtora de laticínios. O MinC não detalhou os motivos da reprovação da prestação de contas da X-9 Paulistana nem o prazo para a apresentação de um possível recurso pela escola ou para o pagamento da restituição. Em 2016, a X-9 Paulistana desfilou com um enredo em homenagem ao açaí e à cidade de Belém, no Pará. Porém, a agremiação enfrentou problemas com suas alegorias e ficou em último lugar, caindo para o grupo de acesso no Carnaval de 2017.

Desfile da Escola de Samba X-9 Paulistana válida pelo Grupo Especial, no Sambódromo do Anhembi em São Paulo (SP), neste domingo (07)

Desfile da Escola de Samba X-9 Paulistana válida pelo Grupo Especial, no Sambódromo do Anhembi em São Paulo (SP), neste domingo (07) (Edson Lopes Jr./VEJA.com)

A escola de samba X-9 Paulistana terá que restituir 368.302,61 reais aos cofres do Ministério da Cultura, de acordo com publicação no Diário Oficial da União desta terça-feira. A prestação de contas da escola, que usou de recursos públicos em seu desfile de 2016, foi reprovada. A assessoria da agremiação disse à reportagem que VEJA que ainda não foi notificada pelo MinC.O projeto apresentado pela agremiação em 2015, com vistas ao Carnaval do ano seguinte, obteve aval para captar 1,5 milhão de reais, dos quais 351.195,22 foram arrecadados. Segundo dados do Ministério, os maiores apoiadores da agremiação foram uma empresa de coleta de lixo da Grande São paulo e uma produtora de laticínios.

O MinC não detalhou os motivos da reprovação da prestação de contas da X-9 Paulistana nem o prazo para a apresentação de um possível recurso pela escola ou para o pagamento da restituição.

Em 2016, a X-9 Paulistana desfilou com um enredo em homenagem ao açaí e à cidade de Belém, no Pará. Porém, a agremiação enfrentou problemas com suas alegorias e ficou em último lugar, caindo para o grupo de acesso no Carnaval de 2017.

fonte:http://veja.abril.com.br/
Postar um comentário

Comentarios