SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Exposição possibilita “chutar” imagem de Nossa Senhora Católicos consideraram uma “afronta” contra a mãe de Jesus

Resultado de imagem para estonian national museum mary






Museu Nacional da Estônia inaugurou no final do ano passado uma exposição que irritou os católicos do país. Umas das obras, com a qual se pode interagir, oferece aos visitantes a oportunidade de “chutar” uma imagem de Nossa Senhora. Ao se atingir com o pé o local indicado, a imagem fica imediatamente em pedaços. Em seguida, surge em seu lugar a palavra “Reforma”.
A obra virtual foi criticada por uma série de políticos locais e parlamentares. Priit Sibul, que preside o grupo político União Pró-Pátria e Republica, reclamou que “Chutar uma imagem da Mãe de Deus é algo que se fazia durante o domínio soviético”.
O presidente do partido Conservador, Mart Helme, insistiu: “A imagem deve ser removida o mais rapidamente possível, porque a destruição, ainda que virtual, é um grave insulto aos sentimentos dos cidadãos religiosos”. Para ele, “Zombar dos símbolos de fé também tem uma dimensão política. Pode levar a uma escalada das tensões sociais”.
Chute na Nossa Senhora.
O uso da palavra “Reforma” na obra iconoclasta justamente quando já começaram na Europa as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante causou incômodo também em líderes religiosos.
O bispo Urmas Viilma, da Igreja Luterana Estoniana afirmou que a ideia de “destruir” uma imagem de Maria é uma afronta “a toda a sociedade da Estônia e a todos os cristãos, ortodoxos, católicos e evangélicos também”. Com informações Catholic Herald
Postar um comentário

Comentarios