SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Urgente: Cerco se fecha para Renan Calheiros após prisões da nova fase da Lava Jato


Cerco se fecha para Renan Calheiros após prisões da nova fase da Lava Jato
A Pf federal já está nas ruas para realizar mais uma fase da Lava Jato, a 38ª fase da operação foi batizada com o nome de Blackout e cumprirá 15 mandados de busca e apreensão e outros dois de prisão preventiva.
A operação tem como alvo a atuação de operadores financeiros que movimentaram recursos no esquema de corrupção nas diretorias da Petrobras e segundo o G1, os dois operadores financeiros são Jorge Luz e Bruno Luz. Eles são investigados pelos crimes de corrupção, fraude em licitações, evasão de divisas, lavagem de dinheiro dentre outros.
Em um dos depoimentos de delação premiada, o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró afirmou ao juiz Sérgio Moro que o senador Renan Calheiros, do PMDB, recebeu propina de dinheiro desviado da Petrobras através de Jorge Luz.“O Jorge Luz era um operador dos muitos que atuam na Petrobras. Eu conheci o Jorge Luz, inclusive nós trabalhamos, também faz parte de uma propina que eu recebi, que faz parte da minha colaboração na Argentina. E foi o operador que pagou os US$ 6 milhões, da comissão. Da propina da sonda Petrobras 10.000, foi o Jorge Luz encarregado de pagar ao senador Renan Calheiros…”, disse Cerveró.
A assessoria de Renan Calheiros disse que ele nega as afirmações, que já prestou as declarações necessárias e está à disposição para novos esclarecimentos.
Conforme a PF, o nome da operação é uma referência ao sobrenome dos dois operadores.
“A simbologia do nome tem por objetivo demonstrar a interrupção definitiva da atuação destes investigados como representantes deste poderoso esquema de corrupção”, disse a PF.
Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.
(Via agencia de noticia )
Postar um comentário

Comentarios