SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quarta-feira, 15 de março de 2017

Após sua igreja orar, menina experimenta cura milagrosa: “Deus é o grande médico”


Uma garotinha que costumava brincar no sótão de um depósito próximo de sua casa estava tendo mais uma manhã tranquila. No dia 2 de fevereiro de 2011 ela, ao voltar da escola, estava se divertindo quando um acidente aconteceu. “Todos os dias ela ia brincar com seus gatos e ela caiu e bateu a cabeça no concreto. Ela foi se arrastando até chegar em casa”, contou Daryl, o pai de Reagan que tinha seis anos na época.
Então, um alvoroço tomou conta da fazenda Bowman, em Virginia (EUA). A mãe de Reagan disse: “Meu filho a encontrou na entrada da garagem e então a pegou e a levou para meu marido”. Seus pais, Daryl e Tara não viram nenhum sinal de ferimento sério.Tara lembrou: “Sim, ela estava chorando, mas ela não disse nada. Ela não estava sangrando, não havia nada que indicasse que ela estava realmente ferida”. Para estarem seguros, eles ligaram para a emergência. Eles ficaram surpresos quando o esquadrão de resgate lhes disse que Reagan precisava ser levada para o hospital local.
A garotinha também foi encaminhada para o centro de traumatismo da Universidade de Virgínia, perto de Charlottesville. “Foi definitivamente um tempo difícil. Eu vi o helicóptero atravessar a montanha, até o horizonte”, disse Tara. “Saber que seu bebê está em um helicóptero e você não estar lá para ajudar é terrível”.
Daryl lembrou: “Tínhamos muitas preocupações. E no caminho fiz três telefonemas para três pregadores e pedi para que eles orassem por nós”. A mãe de Reagan disse: “Eu esperava levá-la para o hospital. Queria estar com ela em todos os momentos”.
Traumatismo craniano
No hospital, eles souberam que Reagan tinha sofrido um traumatismo craniano e estava em estado crítico. O Dr. Norwood disse: “Além de sua grave lesão cerebral, ela também tinha uma fratura na perna esquerda e uma outra fratura perto de seu olho direito. Foi muito grave. Seus ferimentos eram fatais. Ela poderia ter morrido num curto prazo”, disse.
A mãe de Reagan ficou atônita. “Ela estava deitada lá com muitos tubos ligados a seu corpo. Eles perfuraram seu crânio para verificar a pressão”. Seu pai disse: “Você simplesmente não podia acreditar. Quero dizer, tinha horas que eu estava meio confuso e não sabia o que pensar”.
O Dr. Norwood continuou a explicar sua condição. “A lesão cerebral resultou em inchaço do cérebro que progrediu rapidamente nas primeiras 48 horas. A pancada foi tão forte que seu cérebro poderia ter escapado pelos seus ouvidos”. A mãe da menina lembrou: “Eu disse, ‘Deus, você não pode levá-la ainda, por favor, não a leve ainda’”.
Dr. Norwood explicou o procedimento para reduzir o inchaço de Reagan: “Eles tiveram que remover os dois ossos frontais, a fim de permitir que seu cérebro tivesse espaço para inchar, para que não houvesse mais danos”.
Igreja unida em oração
O pedido que havia sido feito para os pastores foi estendido para toda a comunidade de oração. Daryl disse: “As crianças foram para a Escola Cristã da Comunidade” Tara continuou: “No dia seguinte depois do acidente, todos eles passaram pelo hospital, deram as mãos e fizeram um grande círculo de oração pela minha filha”.
Daryl continuou: “Amigos vieram e fizeram orações conosco. Ela passou bem pela cirurgia, sem complicações, mas não ficamos sabendo sobre os efeitos do acidente até que ela acordou do coma induzido. Nossa próxima preocupação seria que ela tivesse sérios danos cerebrais a longo prazo.
O Dr. Norwood disse que ela poderia ter alguns problemas ao andar, falar, comer e cuidar de si mesma. Reagan foi fortemente sedado por três semanas. Durante esse tempo o inchamento do cérebro diminuiu bastante para que os médicos pudessem substituir os ossos de seu crânio. Depois, ela começou a fisioterapia.
Recuperação milagrosa
Sua mãe lembrou, “Reagan teve que reaprender a escovar os dentes e andar novamente. Tínhamos também de nos certificar que ela não estava sufocada com a comida, então tivemos que ensiná-la a engolir de novo”.
Seu pai acrescentou: “Mas todos os dias você podia dizer que ela estava melhorando”. Apesar de todo esse processo, outro problema se desenvolveu. Dr. Norwood explicou: “Uma vez que seu crânio foi posto de volta, infelizmente, ela desenvolveu uma infecção no local e acabou tendo que tratar isso com antibióticos. Ela acabou tendo que ter o fluido cerebral drenado”.
A família continuou a orar pela cura da menina. Daryl disse: “Todas as noites orávamos por ela”. Sua mãe acrescentou: “Nós cercamos nossa sala com música cristã, orações e trechos da Bíblia. A gente declamava a Palavra de Deus em voz alta”. A infecção de Reagan acabou rapidamente e ela continuou sua terapia.
“Ela acabou gastando menos tempo na reabilitação do que pensávamos que ela precisaria. Seu progresso foi muito rápido, mais rápido do que nós normalmente vemos com crianças que têm esse grau de gravidade de um lesão cerebral”, disse o médico.
(Guiame)
Postar um comentário

Comentarios