SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quinta-feira, 2 de março de 2017

Bruno revela mágoa com ex-companheiros de Flamengo

Bruno revela mágoa com ex-companheiros de FlamengoCampeão Brasileiro pelo Flamengo em 2009, o goleiro Bruno, que está em liberdade após conseguir um Habeas Corpus junto ao Tribunal Federal, concedeu uma entrevista à Radio Itatiaia e revelou ter magoa de seus ex-companheiros de time no Rubro-Negro.
Ele afirmou que gostaria de ter recebido uma carta em solidariedade no momento de sua prisão.
"Eu gostaria de ter recebido no mínimo uma carta daquele grupo de 2009 do Flamengo, com o qual fomos campeões brasileiros. Na verdade eu não quero nada de nenhum deles, mas naquele momento ali (seria importante), independentemente se Patrícia Amorim tivesse proibido, como alguns falaram para mim na época que proibiu. Mas se fosse com qualquer um deles, independentemente do que tivesse acontecido, eu mandaria uma carta. Seria até mais radical e iria lá visitar. Independentemente se o cara errou. 'Posso não concordar com o que você fez, mas vim aqui te ver'. Faltou prestar solidariedade. Eu só queria uma carta daquele pessoal".
Bruno falando sobre alguns atletas que foram visita-ló durante o período em que esteve na prisão.
"O Fábio. Foi lá o Jajá, que é pouco conhecido. Jackson Avelino, o Jajá, que jogou no América-MG e comigo no Flamengo. Teve algumas outras pessoas, como o Gladstone, que foi zagueiro do Cruzeiro. O próprio Irineu, que jogamos juntos na base do Cruzeiro. Estiveram lá fazendo o trabalho deles, que é de evangelização"
O goleiro que chegou a ser capitão do Flamengo em 2010 e cotado para a Copa do Mundo também revelou que não estava preparado para o sucesso.
"O cara quando é muito pobre e se depara com o sucesso tão rapidamente, não consegue administrar. Eu mesmo não estava estruturado. A pessoa deixa se levar. E mesmo a Ingrid (esposa do jogador) me falando tantas vezes e chamando minha atenção, eu tinha que estar com o coração aberto para ouvir. Mas eu achava que eu colocando coisas materiais em casa já era suficiente, mas não é bem assim não. Até falo para as pessoas hoje que não é preciso de muito para sermos felizes. Para mim a coisa mais importante hoje é o amor e a família".
Fonte:https://esportes.yahoo.com
Postar um comentário

Comentarios