SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sexta-feira, 3 de março de 2017

Longa vida de goleiros dá esperança a Bruno de voltar a jogar Dos 20 arqueiros dos times que jogarão a Série A do Brasileiro, 12 são mais velhos que o ex-atleta do Flamengo, que, aos 32 anos, quer retornar aos gramados

longevidade dos goleiros, maior que a dos chamados jogadores de linha, é um fator que joga a favor da pretensão do ex-goleiro Bruno Fernandes, 32 anos, de voltar a jogar futebol profissionalmente. Preso em 2010, quando tinha 25 anos, ele ficou seis anos e sete meses na prisão pelo assassinato da ex-namorada Eliza Samudio até ser solto no dia 24 de fevereiro por uma liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF).
Dos 20 times que vão disputar este ano a Série A do Campeonato Brasileiro – principal competição nacional de clubes -, 12 têm como titulares no gol jogadores mais velhos que Bruno, inclusive o campeão da última temporada, o Palmeiras, que tem debaixo das traves Fernando Prass, 38, um dos principais ídolos da torcida.O arqueiro mais velho da elite, no entanto, é Magrão, também ídolo da torcida do Sport, que tem 39 anos. Outros goleiros mais velhos que Bruno são Diego Cavalieri, 34 (Fluminense), Jefferson, 34 (Botafogo), Victor, 34 (Atlético-MG), Sidão, 34 (São Paulo) e Fábio, 36 (Cruzeiro), entre outros – veja a lista abaixo.
Entre os que já pararam, há exemplos de maior longevidade até.  Dida, ídolo no Corinthians e no Milan-ITA, parou de jogar aos 42 anos no Internacional (em 2015), mesma idade de Rogério Ceni, no São Paulo, ao se aposentar no ano passado. Marcos, arqueiro histórico do Palmeiras, pendurou as luvas aos 39 anos, assim como Raul Plassmann, que deixou os gramados após integrar o time mais vitorioso da história do Flamengo, em 1983.
Entre os goleiros de outros países, o britânico Peter Shilton e o italiano Dino Zoff pararam com quase 41 anos – este último ganhou a Copa de 1982 quanto tinha 40 anos. O alemão Oliver Khan deixou de jogar aos 39 anos. Nenhum deles, porém, supera o colombiano Faryd Mondragón, que, ao entrar em campo no final do jogo Colômbia x Japão na Copa do Mundo de 2014, se tornou, aos 42 anos e nove meses, o mais velho atleta a disputar uma Copa do Mundo.
Quando foi preso, Bruno era titular absoluto do gol do Flamengo e constantemente especulado como um possível goleiro para a seleção brasileira – ele jogou no time carioca de 2006 a 2010. Durante sua carreira, brilhou também no Atlético-MG de 2002 a 2006. Em 2006, ele também passou pelo Corinthians, mas não chegou a entrar em campo.

Os goleiros mais velhos que Bruno no Brasileiro:

  • Magrão, do Sport: 39 anos
  • Fernando Prass, do Palmeiras: 38 anos
  • Fábio, do Cruzeiro: 36 anos
  • Artur Moraes, da Chapecoense: 36 anos
  • Aranha, da Ponte Preta: 36 anos
  • Diego Cavalieri, do Fluminense: 34 anos
  • Victor, do Atlético-MG: 34 anos
  • Sidão, do São Paulo: 34 anos
  • Jefferson, do Botafogo: 34 anos
  • Martín Silva, do Vasco: 33 anos
  • Vanderlei, do Santos: 33 anos
  • Wilson, do Coritiba: 33 anos

Na prisão

Bruno foi condenado a 22 anos de prisão em 2013 pelo assassinato de Eliza Samudio. Ao lhe conceder a liberdade, o ministro Marco Aurélio Mello disse que ele tem o direito de responder em liberdade, já que é réu primário e possui bons antecedentes criminais. “Colocou-se em segundo plano o fato de o paciente ser primário e possuir bons antecedentes. A esta altura, sem culpa formada, o paciente está preso há seis anos e sete meses. Nada, absolutamente nada, justifica tal fato”, escreveu Marco Aurélio.
O ministro também levou em conta na decisão o fato de o recurso apresentado pelo ex-goleiro contra sua condenação estar parado há quatro anos no Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Postar um comentário

Comentarios