SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

domingo, 5 de março de 2017

Um bebê é assassinado a cada hora com a lei do aborto no Uruguai Por Barbara Bustamante

Ultrassonografia / Flickr de Maddalena (CC-BY-NC-SA-2.0
MONTEVIDÉU, 21 Jan. 17 / 02:00 pm (ACI).-  A ‘Corriente Social Cristiana’ Lista 252 do Partido Nacional do Uruguai manifestou o seu “profundo rechaço” à lei do aborto, a qual em apenas 4 anos de aplicação já causou a morte de 38 mil bebês no país.
“Um bebê morre a cada hora, por aborto legal, com a cumplicidade do Estado uruguaio. Um verdadeiro genocídio”, assinalou em uma declaração a bancada liderada pelo deputado pró-vida Carlos Iafigliola, no final de uma reunião sobre equilíbrio político e projeções para 2017.
Desde 2012, o aborto no Uruguai é legal até às 12 semanas de gravidez e, de acordo com as cifras de 2015 do Ministério de Saúde Pública, são praticados aproximadamente 780 abortos por mês.Frente a esta situação, a ‘Corriente Social Cristiana’ advertiu que a única coisa que esta lei fez foi aumentar “a cada ano a quantidade de abortos”.
“Seguiremos trabalhando para que esta terrível e desumana Lei do Aborto, um dia, definitivamente acabe”, acrescentou.
Do mesmo modo, manifestaram o seu compromisso de denunciar “esta realidade terrível” e pressionar “o governo para que criem planos alternativos ao aborto, que privilegiem e protejam a vida de ambos, da mãe e do bebê”.
De maneira especial, buscaram aprovar no Parlamento o projeto que “declare o dia 25 de março como o Dia da Criança por nascer no Uruguai”.
Finalmente, a bancada prometeu continuar trabalhando pela “defesa da vida e da família” no Uruguai através do fortalecimento das “ações públicas e apresentação de projetos” para combater as leis anti-vida e o “casamento gay” aprovado em 2013.
fonte:http://www.acidigital.com
Postar um comentário

Comentarios