SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sexta-feira, 14 de abril de 2017

ODEBRECHT PEDIU A PASTOR EVERALDO PARA AJUDAR AÉCIO EM DEBATE DE 2014

O executivo Fernando Reis afirmou em depoimento de delação premiada que a empreiteira Odebrecht orientou em 2014 o então candidato a presidente Pastor Everaldo (PSC) a ajudar o candidato do PSDB, Aécio Neves, em um debate entre os presidenciáveis realizado durante a campanha; Reis não informa qual foi o debate nem se Aécio tinha conhecimento do pedido; segundo ele, o objetivo da empresa com a manobra foi “dar mais visibilidade” para o candidato tucano durante o debate e ajudá-lo a garantir vaga no segundo turno para disputar com a então presidente Dilma Rousseff, que concorria à reeleição
247 - Em seu acordo de delação premiada no âmbito da Lava Jato, o executivo Fernando Reis afirmou em depoimento que a Odebrecht orientou, em 2014, o então candidato a presidente Pastor Everaldo (PSC) a ajudar o candidato do PSDB, Aécio Neves, em um debate entre os presidenciáveis realizado durante a campanha.
Reis não informa qual foi o debate nem se Aécio tinha conhecimento do pedido; segundo ele, o objetivo da empresa com a manobra foi “dar mais visibilidade” para o candidato tucano durante o debate e ajudá-lo a garantir vaga no segundo turno para disputar com a então presidente Dilma Rousseff, que concorria à reeleição.
As informações são de reportagem do G1.
"O G1 falou por telefone com Pastor Everaldo, mas ele disse que não poderia dar entrevista naquele momento porque estava em uma reunião. Também procurou a assessoria de Everaldo, mas não conseguiu contato.
Fernando Reis afirmou que a Odebrecht repassou R$ 6 milhões para a campanha de Pastor Everaldo, a quem disse ter sido apresentado pelo ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
De acordo com o delator, após a morte de Eduardo Campos, candidato a presidente pelo PSB, os votos da comunidade evangélica migraram para Marina Silva, que o sucedeu como candidata. 'Aí, ele [Everaldo] praticamente desapareceu nas pesquisas', disse.
Segundo Reis, Pastor Everaldo 'tinha uma rixa com o PT', partido de Dilma Rousseff, e 'a ideia' da Odebrecht com o pedido de ajuda foi 'ajudar Aécio a chegar num segundo turno'."
fonte:https://www.brasil247.com
Postar um comentário

Comentarios