bate papo FMESPERANÇANOSSA

SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

sábado, 10 de junho de 2017

Livros didáticos citam Jesus como um "demônio" e revoltam cristãos, na Índia O fato já foi denunciado por cristãos ao governo, mas nenhuma medida foi tomada até o momento.

Crianças participam de manifestação pacífica cristã na Índia. (Foto: Reuters)
Crianças participam de manifestação pacífica cristã na Índia. (Foto: Reuters)
A comunidade cristã em Ahmedabad (Índia) expressou sua indignação porque os livros didáticos em idioma Hindi, usado por classes do 9º ano em escolas se referem a Jesus Cristo como um "demônio".
O governo reconheceu que o adjetivo "hevaan" ou "demônio", citado antes do nome de Jesus nos livros didáticos publicados pela Comissão do Livro Didático de 'Gujarat' - que são usados nas escolas públicas do estado - foi um erro, segundo informou o site 'News18' (CNN), na última quinta-feira e disse que o erro será corrigido.
O jornal 'Times of India' relata que a comunidade cristã notificou o governo sobre o erro há mais de um mês, mas nenhuma ação foi tomada até agora.
O capítulo 16 do livro de texto em questão afirma no idioma Hindi: "Is sambandh me hevaan Isa ka ek kathan sada smaraniya hai", que se traduz como "uma declaração do demônio Jesus é sempre memorável".
O padre Vinayak Jhadav, porta-voz da Igreja Católica de Gujarat, disse que o erro foi apontado denunciado ao presidente da Comissão do Livro em maio.
"À primeira vista, parece que a palavra 'hevaan', usada para se referir a um demonio ou diabo, pode ser um erro de digitação e pedimos uma correção imediata", disse Jhadav.
"Como não ouvimos mais uma resposta do Conselho do Livro Didático, levamos a questão ao Fórum Cristão Unido de Gujarat e decidimos representar o caso perante o ministro da Educação do Estado para uma explicação, correção e ação disciplinar contra os responsáveis ​​pelo erro. Isto não tem a ver somente com religião, mas também com a qualidade da Educação", afirmou o líder cristão.
O advogado Subramaniam Iyer, que também notou o erro, observou que a lei da Índia proíbe atos deliberados e maliciosos destinados a ofender as religiões.
"Jesus está sendo retratado como um demônio para os estudantes. Muito claramente, este é um caso que atrai a seção 295 (a) da Lei, que diz respeito a prejudicar os sentimentos religiosos de qualquer classe", disse Iyer.
Ele acrescentou que, mesmo que o erro se revele não intencional, ele ainda tem o potencial de criar uma fenda entre as comunidades.
"Isso simplesmente é inaceitável e deve ser removido imediatamente", disse ele.
As sensibilidades religiosas são um ponto de tensão significativo na que é de maioria hindu, onde os cristãos sofrem perseguição nas mãos de extremistas. A Missão Portas Abertas (EUA) classificou a Índia como o n.° 15 em sua lista mundial atualizada de países onde os cristãos são mais severamente punidos por sua fé, devido aos ataques em ascensão.
A Portas Abertas disse ainda que uma média de 40 ataques por mês contra cristãos ou igrejas foram relatados na Índia durante 2016.
Além dos ataques de radicais hindus, as organizações cristãs também foram alvo de leis governamentais anti-evangelísticas.
A organização de patrocínio infantil 'Compassion International' foi obrigada a fechar suas portas na Índia em março, deixando cerca de 147 mil crianças desamparadas, depois que o governo proibiu que a ONG recebesse doações vindas de fora do subcontinente.
"Estamos sentindo que o governo indiano nos colocou em uma posição em que podemos ser forçados a fechar nossas portas na Índia", disse o presidente da 'Compassion International', Santiago Jimmy, em um comunicado ao 'Christian Post', antes do fechamento da organização.
Postar um comentário

Comentarios