SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Polícia Federal prende familiares do ator Bruno de Lucca-O clima de impunidade no Rio de Janeiro possibilitou a formação de verdadeiras quadrilhas


O Ministério Público Federal fala em propina de R$ 12 milhões paga por Marco Antônio de Luca a Sérgio Cabral. Mas isso refere-se apenas a uma mesada de R$ 200 mil paga ao ex-governador. Pelos contratos com o Estado rolavam propinas muito mais elevadas. Só com os governos Cabral / Pezão, segundo o MPF, o empresário e as empresas da família zeram contratos de R$ 8 bilhões. Fora o que recebeu de Eduardo Paes. Marco Antônio era vizinho de Cabral no condomínio Portobello, em Mangaratiba e
 ituação do Rio de Janeiro é muito séria O integrante mais famoso da Família Mantuano de Luca é o ator Bruno de Lucca, da TV Globo, aquele rapaz que apresentava o Vídeo Show. Entretanto os poderosos seu pai e tios que entre os muitos negócios que mantinham com o governo Cabral e Eduardo Paes estava o fornecimento de refeições para presídios estaduais, escolas e hospitais municipais. Os donos da Milano, empresa da Família do ator Bruno de Lucca, estava denunciado desde 2008 por crimes de improbidade e danos ao erário. Mesmo sob denúncia e comprovações entregues ao MP naquela época, o governo de Cabral e Eduardo Paes pagou mais de R$ 300 milhões aos Mantuano de Luca. Outros negócios sob investigação A família do ator ainda mantém outras empresas: a Novo Jahu Comércio de Alimentos, Jahu Imobiliária, Frigoríco Jahu, Firoríco Calombe, Cosnate Arrendamento de Máquinas e AML Barra – Serviços e Participações. Uma diversidade enorme de negócios que está sob investigação do Ministério Público Federal após explodir a operação Lava Jato. O juiz Marcelo Bretas considera que Sérgio Cabral deve permanecer preso em regime fechado por não se tratar de um criminoso comum, mas um homem que abalou os fundamentos da democracia
FONTE:juntospelobrasi
Postar um comentário

Comentarios