SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Espuma misteriosa em árvore causa comoção em religiosos de Ceilândia Grupo de comunidade católica ortodoxa acredita que aconteceu um milagre. Biólogo diz que fenômeno é simples e não tem nada de sobrenatural.


 Uma espuma branca que apareceu em uma árvore está causando comoção em Ceilândia, cidade do Distrito Federal. Um grupo de religiosos acredita que aconteceu um milagre ali.
O fenômeno ocorreu no quintal da sede de uma comunidade católica ortodoxa, em Ceilândia, a 40a quilômetros de Brasília, onde são realizadas orações. O galho de uma árvore está coberto por um líquido espumoso e os pingos não param de cair. Para os fiéis é um milagre.

A notícia se espalhou e a cada dia mais gente aparece para agradecer graças recebidas e fazer pedidos.

O galho começou a pingar na última sexta-feira. Um padre da comunidade que sempre faz orações no local disse que viu a imagem de Nossa Senhora Aparecida e que os pés dela tocaram a árvore. Segundo ele a santa disse que o gotejamento duraria sete dias.

Uma das religiosas que estavam com o padre no dia da visão contou o que ele viu. “Em uma visão, ele viu Nossa Senhora. Ela estava flutuando na nuvem e, de repente, a nuvem se abriu e o pezinho de nossa senhora ultrapassou a nuvem e tocou no galho. Assim que tocou no galho a gente viu, eu vi, eu relatei o gelo se formando”, conta Renata Demartine, monja.
Kimiti Kitayama, biólogo especialista em insetos, diz que o fenômeno é mais simples do que parece, não tem nada de sobrenatural.  O líquido que escorre do galho é, na verdade, o que sobra da digestão de uma espécie de cigarra. Segundo ele o processo leva de 7 a 10 dias. “Não tem nada de gelo. Aquilo lá é espuma do excesso da seiva sugada pelas larvinhas da cigarra”.

Postar um comentário

Comentarios