SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sábado, 22 de julho de 2017

Sem querer, mais uma vez o vovô que liberou a maconha no Uruguai entrega Lula



O octogenário ex-presidente uruguaio José Pepe Mujica, que atualmente exerce o cargo de senador, ganhou fama mundial pela legalização do consumo da maconha em seu governo. Também é reconhecido pela vida simples e austera que leva, andando pelas ruas de Montevideo dirigindo um Fusca azul, ano 1987. Em entrevista à BBC Brasil ele entregou mais uma vez o companheiro Lula.

Em 2015, foi lançado o livro “Uma Ovelha Negra no Poder”, escrito pelos jornalistas uruguaios Andrés Danza e Ernesto Tulbovitz. Nele, Mujica traz à tona uma confissão que o ex-presidente Lula lhe teria feito em 2010. Narra aos jornalistas que, ao falarem sobre o escândalo do Mensalão, que consistia na compra de apoio político, o petista lhe teria dito que aquela era “a única forma de governar o Brasil”.

Na entrevista de agora, o ex-presidente uruguaio defende Lula vigorosamente, dizendo não acreditar em nenhuma das acusações que são imputadas ao chefão do PT. Mas ao falar especificamente de uma denúncia, a que acusa o petista ser dono do sítio de Atibaia, acabou por confirmar a suspeita: “Olha, eu mantenho minha fé no Lula. Eu o conheço há muitos anos. O acusam por um sítio. Uma vez estive no sítio e é muito simples, com uma casinha”, disse.

As palavras de Mujica não revelam nada de novo, mas dizem muito a respeito da convicção que o sítio pertence realmente a Lula. O fato de o uruguaio ter estado lá não é fato mais relevante em sua fala. Mas ao dizer que o lugar era muito simples e tinha uma casinha, deixa subentendido o seguinte: por ser uma propriedade simples, as posses de um homem como Lula lhe dariam condições de possuir um imóvel do tipo.

O argumento implícito de Mujica vai ao encontro da defesa que os aliados fazem e já fizeram sobre as acusações de que Lula seria o verdadeiro dono do sítio de Atibaia e do tríplex do Guarujá. Podemos lembrar como exemplo o que disse Marcos Aurélio Garcia, ex-assessor especial de Lula e Dilma, falecido nesta semana. Em 2015, em entrevista à Folha de São Paulo, disse que o tríplex era “bem fubango” e considerava o apartamento dele bem melhor.

O que está sendo questionado pelos investigadores, Justiça e pela sociedade brasileira não é o valor pecuniário dos imóveis e muito menos suas características, se são simples ou não. O que todos não aceitam é o fato de que tais bens possam ser fruto de corrupção, de dinheiro roubado dos cofres públicos em forma de propina.

Fonte:http://www.oelefante.com/20
Postar um comentário

Comentarios