SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Deus; cuja palavra tornou-se um homem, para que o homem se tornasse Sua Obra-Prima.


Apaixonado pelo amor, o poeta se rende e se entrega, percebendo que não sabe fazer outra coisa, se não expressar o que sente, (e até o que ainda não sente), por causa do amor que o domina. descobre que não serve pra nada, e que seu mundo não é real, nem fantasia; daí tantos desencontros, tanta dor, tanta agonia; porque teimoso tentou viver normalmente, fazendo o que não queria, ora para sobreviver, ora para sentir alegria; e assim o poeta fingiu e fugiu do seu destino natural que não é adaptar-se, preservar-se ou conter-se diante da social civilizada monotonia. Seu destino é a palavra encarnada, a piedade que se faz presente, contra tudo o que não é realmente, se afastando do que mente, se tornando ele mesmo semente para o maior de todos os poetas, Deus; cuja palavra tornou-se um homem, para que o homem se tornasse Sua Obra-Prima.
Fábbio Kostta
Postar um comentário

Comentarios