SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sábado, 5 de agosto de 2017

Erdogan conquistaria a Europa em apenas 3 dias, diz jornal turco Manchete elogia Erdogan e aponta que a Turquia já é “o país mais poderoso do mundo” e que pode conquistar a Europa em uma ofensiva militar.

Erdogan e Exército da Turquia.
Erdogan participa de cerimônia militar.
   Um dos principais jornais da Turquia, Yeni Söz, defende que Recep Tayyip Erdogan poderia conquistar a Europa em apenas três dias, se uma ofensiva militar fosse iniciada.
Visto por muitos como ditador, devido à repressão a opositores, Erdogan vem fazendo ameaças contra seus vizinhos, principalmente contra a Grécia, que já fora invadida no passado pelos Otomanos.
George Friedman, fundador da empresa de inteligência Stratfor, o país poderia retomar sua ofensiva militar nos moldes do antigo Império Otomano.O analista político, que atende organizações de todo o mundo, defende que a Turquia poderia se tornar uma das superpotências.
A manchete do jornal pró-governo já coloca a Turquia como “o país mais poderoso do mundo” e acreditar no potencial bélico dos turcos para conquistar a Europa.
O fato de Erdogan ser visto como um líder ambicioso, capaz de mobilizar turcos em todo o mundo é uma das principais razões para que os analistas acreditem em uma ofensiva militar na Europa, que possui milhões de imigrantes turcos.
Erdogan, que comanda a Turquia desde 2002, tem governado o país com mão de ferro, silenciando opositores políticos, militares e restringindo a liberdade de imprensa.
Para George Friedman os turcos poderiam vencer os alemães em uma tarde, os franceses em uma hora, “se eles tiverem coragem de aparecer”.
Somente na Alemanha há cerca de 5 milhões de turcos, sem falar no número de muçulmanos espelhados pela Europa. Erdogan têm o apoio leal da base muçulmana de eleitores.
Apesar de receber críticas pela maneira como “silencia” seus opositores, Erdogan é visto como um líder ambicioso.
O Instituto Internacional de Pesquisa Gallup vê uma ofensiva militar na Europa como algo desnecessário, já que a maioria dos europeus não entraria em uma guerra para defender seu país.
A pesquisa perguntou a pessoas de 60 nações se elas lutariam por seu país. E o resultado foi que a grande maioria já está com as “bandeiras brancas” em sinal de rendição.
Segundo os índices da pesquisa, apenas 18% dizem estar dispostos a defender a Alemanha, 29% dos franceses entrariam em uma guerra, 21% dos espanhóis e 20% dos italianos disseram que lutariam.
“Então, de acordo com esses resultados, se partimos para uma conquista pela manhã, podemos fazer as orações da noite no Palácio de Bellevue! E entraríamos em Roma na manhã do segundo dia”, acrescentou a manchete de forma sarcástica.

Erdogan

Erdogan já fez duras ameaças contra os países europeus, que acusa humilhar e oprimir os turcos. Ele chegou a afirmar que a Europa iniciou uma “cruzada contra o Islã”.
A acusação de que a Europa havia iniciado uma “cruzada contra o Islã” se deu após decisão da Justiça de permitir que empresas proíbam o uso do véu islâmico em horário laboral.
O Ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, chegou a prometer o inicio de uma “guerra santa na Europa”.
O conceito de “guerra santa” é geralmente empregado por radicais islâmicos, que usam a jihad para justificar as mortes em nome da religião.
FONTE:http://noticias.revivaltimes.com.br

Postar um comentário

Comentarios