SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Moro sobre Lula: ‘Se pagou por reformas, conseguirá provar’ O juíz federal Sérgio Moro investiga se reformas no Sítio de Atibaia foram feitas com dinheiro de propina

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, é réu em mais um desdobramento da Lava Jato. (Leonardo Benassatto/Reuters)
 
O juiz federal Sérgio Moro afirmou em decisão que colocou o ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva no banco dos réus pela sexta vez, que se as reformas do sítio de Atibaia foram pagas, Lula conseguirá provar. O petista é réu por corrupção e lavagem de dinheiro. A informação é de reportagem publicada nesta quarta-feira no jornal O Estado de S.Paulo.
Moro disse que “se o ex-presidente da República arcou com as despesas da reforma terá facilidade para produzir prova documental pertinente durante o curso da ação penal, mais uma vez, usualmente transações da espécie são feitas mediante registros documentais e transferências bancárias”.
O juiz disse ainda que “não há qualquer registro de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha pago qualquer valor por essas reformas sinalizadas no Sítio de Atibaia”.
De acordo com a denúncia recebida por Moro, Lula teria sido beneficiado pelas obras na propriedade, pagas em forma de propina pelo pecuarista condenado pela Operação Lava Jato, José Carlos Bumlai e pelas empreiteiras Odebrecht e OAS.Segundo o juiz, o ex-presidente “comportava-se como proprietário do Sítio de Atibaia” e as reformas  foram feitas para “beneficiar o ex-presidente”.
A lava jato evidenciou ainda, algumas “reformas significativas” feitas na propriedade nos últimos sete anos. Segundo o Ministério Público Federal, nas reformas, foram desembolsados 150.500,00 de Bumlai, Rogério Aurélio Pimentel (segurança de Lula) e Fernando Bittar (proprietário formal do sítio), além de R$700 mil das empreiteiras Odebrecht e R$170 mil pela OAS.
Fonte:http://veja.abril.com.br/
Postar um comentário

Comentarios