SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Mulher morre de leishmaniose em Volta Redonda, no Sul do RJ Morte foi em setembro, no mês passado, mas somente esta semana a Secretaria Municipal de Saúde divulgou o caso.

Uma mulher morreu de leishmaniose visceral em Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro. A morte foi em setembro, no mês passado, mas somente esta semana a Secretaria Municipal de Saúde divulgou o caso
A mulher, que não teve o nome divulgado, tinha 37 anos e morava no bairro Retiro. Ela morreu no mês passado de leishmaniose visceral, transmitida pelo mosquito-palha. Ela estava internada no Hospital do Retiro. Uma outra mulher, moradora do bairro Ponte Alta, também contraiu a doença, mas já teve alta. Os dois casos da doença deixaram os moradores estão assustados.
“Em relação ao óbito que ocorreu e à outra pessoa que contraiu a doença, temos que deixar claro que não necessariamente elas foram contraídas em Volta Redonda. Porque há várias áreas endêmicas no Brasil, como Baixada Fluminense, Minas Gerais. Essas pessoas podem ter contraídos numa viagem, numa outra exposição ao mosquito, e não necessariamente em Volta Redonda”, argumentou o secretário de Saúde, Alfredo Peixoto de Oliveira Neto.Mosquito-palha é o transmissor da leishmaniose (Foto: Divulgação/Prefeitura)Ele acrescenta que o principal sintoma da leishmaniose é o emagrecimento progressivo. Havendo esse sintoma, Alfredo Peixoto orienta que o paciente procure o posto de saúde do bairro onde mora, que o encaminhará a um especialista.Ainda segundo o secretário de Saúde, os bairros que têm um índice maior de infestação do mosquito são a Ponte Alta, Minerlândia e Eucalipital.
Medidas simples que ajudam também no combate ao mosquito transmissor da dengue, da zika e da chikungunya, principalmente nesta época do ano, quando o número de casos dessas doenças aumenta.
FONTE:https://g1.globo.com
Postar um comentário

Comentarios