bate papo FMESPERANÇANOSSA

SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Rocinha: guerra entre bandidos cria novo barril de pólvora no Rio Morro da Zona Sul carioca passa por troca de comando e acende alerta de autoridades para possibilidade de novos confrontos

Policiais patrulham a favela da Rocinha após violentos confrontos entre grupos rivais de traficantes de drogas, no Rio de Janeiro - 02/10/2017 (Bruno Kelly/Reuters)
A guerra entre bandidos no Rio de Janeiro pode transformar mais uma favela da zona sul carioca em um barril de pólvora. Na manhã de quarta-feira (4), o morro do Vidigal teve uma mudança no comando do tráfico de drogas e passou a ser controlado pela mesma quadrilha que divide o domínio de território da vizinha favela da Rocinha, palco de confrontos intensos que levaram caos à cidade nas duas últimas semanas. A mudança é acompanhada por autoridades da segurança-pública, preocupadas com a possibilidade de novos conflitos.
Dois dias depois da saída das Forças Armadas da Rocinha, a polícia confirmou que bandidos ligados ao traficante Rogério Avelino dos Santos, o Rogério 157, retornaram à região e ocuparam a parte alta da favela, agora dividida entre duas facções rivais, o Comando Vermelho (CV) e a Amigos dos Amigos (ADA). O racha começou com uma briga entre Rogério e o ex-chefão do morro, Antonio Bonfim Lopes, o Nem, pelo controle da venda de drogas na região, uma das mais lucrativas da cidade. Ambos integravam a ADA, mas Nem, insatisfeito com seu ex-aliado e preso em Rondônia, comandou a tentativa de retomada da área. A disputa provocou confrontos e a expulsão de Rogério 157. Fugindo da polícia e de bandidos inimigos, ele migrou para o Comando Vermelho e se refugiou em favelas da facção.
No Vidigal, quem controla a venda de drogas é Alan Francisco da Silva, o Bilan, muito próximo de Rogério. Na quarta-feira (4), Bilan, que fazia parte da ADA, se converteu ao Comando Vermelho com o objetivo de manter a aliança com o amigo. A transferência de poder levou à expulsão de dois traficantes ligados a Nem que não aceitaram trocar de quadrilha. Com isso, a influência do Comando Vermelho se ampliou para mais uma favela carioca.  Não há informação de intenso tiroteio, mortos ou feridos durante o processo.
Iniciais do Comando Vermelho podem ser vistas em paredes de imóveis no Vidigal (Foto de leitor/Arquivo pessoal)
A mudança consolida uma tradição na Zona Sul carioca. Historicamente, por serem vizinhas, Rocinha e Vidigal sempre foram dominadas pelo mesmo grupo de bandidos. Na manhã desta quinta-feira (5), já era possível ver as iniciais do Comando Vermelho pintadas nas paredes de algumas casas na favela.  Rogério 157 é procurado pela polícia, e o Portal dos Procurados do Disque Denúncia pede 50 000 reais por informações que levem à sua captura.
fonte:http://veja.abril.com.br
Postar um comentário

Comentarios