SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Lula de mãos atadas. Laranja será interrogado por moro em 15 de dezembro e deve esclarecer episódio dos recibos falsos

   
O ex-presidente Lula se meteu em mais uma enrascada ao correr o risco de apresentar recibos ideologicamente falos à Justiça. Pressionado por Moro em seu ultimo interrogatório, o petista não teve outra alternativa a não ser lançar mão de uma estratégia de defesa bastante arriscada. Os advogados de Lula haviam 'providenciado' uma série de recibos para tentar justificar o injustificável: o pagamento de aluguel de um imóvel comprado com dinheiro de propina oriundo de contratos superfaturados na Petrobras, segundo a própria Odebrecht. O engenheiro Glaucos da Costamarques, usado como laranja na operação para ocultar a propriedade do imóvel, deve ser ouvido pelo juiz federal Sérgio Moro no dia 15 de dezembro. A situação do laranja também é complicada perante as autoridades e ele sabe que corre o risco de ser preso por crimes como lavagem de dinheiro, organização criminosa e falsidade ideológica. A defesa do ex-presidente Lula também deve responder pela iniciativa. A apresentação de documento falso à Justiça é prevista no artigo 299 do Código Penal, com pena de até cinco anos de prisão e pagamento de multa. Pela lei, configura crime "inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante". A apresentação de documento falso também pode, segundo investigadores da Lava-Jato, vir a configurar crime de obstrução de Justiça. No interrogatório previsto para o próximo mês, Tanto Costamarques quanto o contador João Muniz Leite devem esclarecer em seus depoimentos as contradições envolvendo a produção da documentação apresentada pela defesa de Lula à Justiça. Para o depoimento de Costamarques, os procuradores do MPF sugeriram questionamentos sobre as datas de confecção e assinatura dos recibos, bem como sobre a quantidade de documentos elaborados e firmados em cada ocasião. Além disso, a Força-Tarefa quer confirmar quem são os responsáveis pela elaboração dos comprovantes.Para a acusação, a forma como os documentos foram preparados podem comprovar que eles foram produzidos para dar amparo a uma locação simulada. Costamarques sabe que está sendo envolvido por uma série fatores que podem comprometê-lo irremediavelmente perante as autoridades. Por outro lado, Lula e seus advogados estão de mãos atadas. Qualquer tentativa de entrar em contato com a testemunha no sentido de instruir o laranja será vista como tentativa de obstrução de Justiça e coação de testemunhas. Neste caso, Lula poderia ser preso imediatamente e o petista não irá se arriscar a esta altura do campeonato. A defesa do petista tentou impedir um novo depoimento de Costamarques, mas a perdeu o recurso na Justiça.
fonte:http://www.imprensaviva.com
Postar um comentário

Comentarios