SIGA-ME

SIGA-ME

Seguidores da revista

Clima Tempo

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

sábado, 11 de novembro de 2017

Lula usava BNDES para vender palestras falsas, segundo nova delação de Léo Pinheiro, da OAS

   
Há tempos, o ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, negocia os termos de sua delação premiada com os membros do Ministério Público Federal. A proximidade do delator com o ex-presidente é um fator que o diferencia de outros delatores, segundo os investigadores da Lava Jato baseados em Brasília. Pinheiro sabe de coisas do arco da velha sobre Lula. Nas palavras de uma pessoa que participa das tratativas, as denúncias de Pinheiro são “mortais” para o petista. Pinheiro alega ter conhecimentos de como o ex-presidente usava sua influência junto ao BNDES para liberar empréstimos para as empreiteiras da Lava Jato. Em troca, as empresas "contratavam" palestras de Lula como forma de comissão. Desde o mês de abril circulam informações de que Léo Pinheiro estaria disposto a falar das palestras superfaturadas de Lula - e de como elas resultaram em empréstimos do BNDES para obras da empreiteira no Brasil e no exterior.
O delator deve fornecer informações sobre pagamentos de R$ 30,7 milhões feitos por empreiteiras envolvidas nas fraudes na Petrobras ao Instituto Lula e a LILS Palestras, empresa que pertence a Lula. Além da OAS, Odebrecht, Camargo Correa, Andrade Gutierrez, UTC e Queiroz Galvão doaram R$ 20,7 milhões ao instituto e pagaram R$ 9,920 milhões por palestras entre 2011 e 2014. A OAS chegou a pagar US$ 200 mil dólares por uma conferência do ex-presidente. Após ser informado sobre os detalhes sobre a nova delação de Léo Pinheiro esta semana, o ex-presidente Lula providenciou reforço em sua banca de advogados. No dia 10 de junho, José Roberto Batochio,passou a integrar a defesa do ex-presidente. O advogado defende investigados das três principais operações da Polícia Federal que agitam o ambiente político do País - Lava Jato, Zelotes e Acrônimo Marina Silva e o prefeito do Rio, Eduardo Paes devem adotar os mesmos procedimentos nos próximos dias. 
Fonte:http://www.imprensaviva.com
Postar um comentário

Comentarios