sexta-feira, 23 de março de 2018

STF proíbe prisão de Lula - É o Supremo atrapalhando a Justiça. Isto é Brasil


Enquanto milhões de brasileiros apreensivos por Justiça  se mobilizaram em frente a TV para companhar o julgamento do habeas corpus preventivo do ex-presidente Lula, os ministros do Supremo Tribunal Federal passaram a tarde inteira numa lenga lenga para decidir se o recurso era cabível ou não.

O problema é que o povo, mais uma vez feito de trouxa, sequer se deu conta de que tudo não passava de mais um ridículo jogo de cena que tinha como objetivo garantir que Lula não seria preso ao final de seu processo no TRF-4, marcado para a próxima segunda-feira, 26.

Após mais de quatro horas de embromação, a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, sugeriu decidiu suspender o julgamento desta quinta-feira (22) para depois da Páscoa. Imediatamente após a 'sugestão' de Cármen Lúcia, o advogado do ex-presidente José Roberto Batochio, exigiu uma garantia de que Lula não seria preso até o final do julgamento de seu habeas corpus, adiado para o dia 4 de abril.

Cármen Lúcia então colocou em votação o pedido de liminar que garantiria um 'salvo conduto' imediato a Lula. No que pareceu uma jogada ensaiada, a maioria dos ministros do Supremo concordaram em conceder a liminar e determinaram que Lula não poderá ser preso até que seja concluído o julgamento no STF, que será retomado no dia 4 de abril.

Votaram por suspender a prisão até a conclusão do julgamento:

Sim:

- Rosa Weber
- Dias Toffoli
- Ricardo Lewandowski
- Gilmar Mendes
- Celso de Mello
- Marco Aurélio Mello


Não:

- Edson Fachin
- Alexandre de Moraes
- Luís Roberto Barroso
- Luiz Fux
- Cármen Lúcia

O julgamento será retomado no dia 4 de abril -- na Semana Santa não há expediente no Supremo. Na prática, os ministros do Supremo atuaram para inibir a própria Justiça. Agora, o TRF-4 deve julgar último recurso da defesa de Lula contra a condenação do petista no caso do tríplex no Guarujá, mas não poderá decretar a prisão do petista, por determinação do STF. A maioria dos ministros da Corte aceitou, de bom grado, o pedido da defesa de Lula de suspender a prisão do petista até que o STF conclua o julgamento

Na prática, os ministros 'cozinharam o galo' até as 18h30, quando Cármen Lúcia colocou em votação a opção de adiar o julgamento do habeas corpus de Lula.

"Infelizmente não temos uma sessão possível amanhã [sexta-feira] e nem na semana que vem", declarou Gilmar Mendes, que se manifestou a favor da concessão de liminar. Por fim, a maioria dos ministros decidiu, por 7 votos a 4, proibir que Lula seja preso até o final do julgamento de seu habeas corpus. Em outras palavras, o Supremo proibiu o TRF-4 de fazer Justiça. Só mesmo no Brasil
FONTE:http://www.imprensaviva.com/
Postar um comentário

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

Comentarios