segunda-feira, 2 de julho de 2018

Mulher dada como morta é encontrada viva em necrotério da África do Sul Paramédicos declaram a morte da mulher, vítima de um grave acidente, mas funcionário do necrotério percebe que ela ainda respira


Uma mulher dada como morta após um acidente na África do Sul foi descoberta viva quando já estava no necrotério. A rede britânica BBC informou que ela foi encontrada na câmara frigorífica. A agência EFE, citando a imprensa local, afirmou que ela estava a instantes de ser colocada no refrigerador.
A mulher foi declarada morta no dia 24 de junho pelos paramédicos da ambulância, fretada pelo serviço Distress Alert, depois de um grave acidente de trânsito em que morreram diversas pessoas. Ela foi levada ao necrotério de Carletonville, no nordeste da África do Sul. Quando um funcionário do necrotério se aproximou do “corpo” para terminar de preencher os formulários, deu-se  conta de que ela ainda respirava.
O gerente do Distress Alert, Gerrit Bradnick, confirmou a história, embora tenha afirmado que “não há nenhuma prova de negligência” de sua equipe. “Isso não aconteceu porque nossos paramédicos não são bem treinados”, disse Bradnick, para  acrescentar que “a equipe usada para comprovar se uma pessoa está viva não encontrou nenhum sinal de vida na mulher”.As autoridades da região de Gauteng, onde aconteceu o acidente, iniciaram uma investigação para esclarecer o caso.
A mulher, não identificada, agora se recupera em um hospital de Johanesburgo.
Esta não é a primeira vez que acontece algo similar na África do Sul. Há dois anos, os familiares de um homem declarado morto descobriram, durante reconhecimento do corpo, que ele ainda respirava.
(Com EFE)
Postar um comentário

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

Comentarios