segunda-feira, 27 de agosto de 2018

De PSOL a Novo, partidos se unem em lançamento de pacto pela democracia

O texto do Pacto pela Democracia diz que "o Brasil vive um momento decisivo" e que "poucas vezes foi tão difícil afirmar o pluralismo, a tolerância e o convívio com a diferença no espaço público"

Do esquerdista PSOL ao liberal Novo, partidos que costumam divergir um do outro se uniram no lançamento de um pacto em defesa da democracia no país. Representantes de pelo menos oito siglas participaram do evento de apresentação do documento, na noite desta quarta-feira (13), em São Paulo.

A iniciativa partiu de mais de 60 organizações e movimentos da sociedade civil -os institutos Ethos, Igarapé, Alana e Sou da Paz estão entre os signatários. Grupos que pregam renovação política, como Agora!, Acredito, RenovaBR, Raps (Rede de Ação Política pela Sustentabilidade), Bancada Ativista, Frente Favela Brasil e Nova Democracia também integram a coalizão.

O texto do Pacto pela Democracia diz que "o Brasil vive um momento decisivo" e que "poucas vezes foi tão difícil afirmar o pluralismo, a tolerância e o convívio com a diferença no espaço público". A proposta é superar diferenças para combater o desgaste das instituições e lutar pela igualdade de direitos e pelo respeito à diversidade.

Nos discursos no auditório do Pavilhão da Bienal, o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e as manifestações que clamam por uma intervenção militar foram lembrados como exemplos de ameaça à democracia. "As demandas por opções autoritárias se confundem com iniciativas erráticas e desordenadas por diferentes grupos da sociedade", afirmou a socióloga Maria Alice Setubal, conhecida como Neca Setubal, em artigo sobre o pacto publicado nesta quinta (14) na Folha de S.Paulo.

Leia também:
'É tudo que queremos', diz Alckmin sobre aliança com DEM
Maia diz que Ciro não é maior probabilidade de aliança, mas que manterá diálogo

Neca, que participou do ato de lançamento, ecoou o discurso de outros convidados.
"Estas eleições oferecem uma oportunidade para avançarmos", disse no palco Oded Grajew, conselheiro da Rede Nossa São Paulo e do Programa Cidades Sustentáveis. Ele afirmou que é preciso batalhar para que a população vote em outubro com consciência e responsabilidade.

Pré-candidatos ao Legislativo de vários partidos (PT, PSDB, Novo, Rede, PPS, PV, PSOL e PDT) se disseram comprometidos com as ideias do pacto e com a defesa de valores como ética e respeito às diferenças. "Se a classe política não aderir ao pacto e não conseguir contaminar seus pares nesse sentido, ele não será efetivo", advertiu o ativista Marcio Black, do movimento Bancada Ativista.

Entre os políticos com mandato que compareceram ao evento estavam os vereadores Eduardo Suplicy (PT-SP) Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e o deputado estadual Carlos Bezerra Jr. (PSDB-SP), todos pré-candidatos ao Legislativo. Cidadãos, organizações e políticos podem aderir ao pacto, incluindo a assinatura pelo site www.pactopelademocracia.org.br.
FONTE:https://www.folhape.com.br
Postar um comentário

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

Comentarios