terça-feira, 7 de agosto de 2018

ISSO É PIOR QUE O ROMBO DA PROVIDÊNCIA...NINGUÉM NÓS ENGANE...VEM JUNTO!

Matematicamente insustentável
1 Presidente da República
1 Vice-presidente da República
1 Presidente Câmara federal
1 Presidente Senado Federal
81 Senadores
513 Deputados federais
27 Governadores
27 Vice-Governadores
27 Câmaras estaduais
1.049 Deputados estaduais
5.568 Prefeitos
5.568 Vice-prefeitos
5.568 Câmaras municipais
57.931 Vereadores
Total: 70.794 políticos (não estamos falando de nenhum partido de forma específica)
12.825 - Assessores parlamentares Câmara Federal (sem concurso)
4.455 - Assessores parlamentares Senado (sem concurso)
27.000 – Assessores parlamentares Câmaras Estaduais (sem concurso – estimado/por falta de transparência)
600.000 – Assessores parlamentares Câmaras Municipais (sem concurso – estimado/por falta de transparência)
Total Geral: 715.074 funcionários não concursados
Gasto
248 mil por minuto;
14,9 milhões por hora;
357,5 milhões por dia;
10,7 bilhões por mês;
Gasto Total: acima de 128 BILHÕES por ano + 6 BILHÕES do FUNDO PARTIDÁRIO para 2018. Além disso, deve-se computar o rombo na previdência social com suas aposentadorias alienígenas.
35 Partidos registrados no TSE + 73 partidos em formação.
E o pior, mas muito pior: Governança zero, zero, zero!!!
As perguntas que cabíveis diante dessa situação são as seguintes:
- Como é que nós deixamos chegar a esse ponto?
- E até quando?
- Favor repassar a todos os brasileiros, especialmente aos eleitores.




FONTE:
https://www.facebook.com/partido10brasil/videos/1048288805337607/UzpfSTI3MzQ4MjI5NjQ5NjQ0Mjo0MzgwODIxMjY3MDMxMjQ/
Postar um comentário

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

Comentarios