sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Toffoli, que nunca passou num concurso de Juiz, critica juízes que, como Sérgio Moro, assumem cargos ainda jovens


O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, fez duras críticas a representantes da magistratura brasileira nesta sexta-feira (2), ao afirmar que os juízes brasileiros assumem o cargo ainda jovens "sem ter socializado" e antes de adquirir "conhecimento da realidade".

"Nós recrutamos juízes no Brasil que são recém-formados, 23, 24, 25 anos, sem experiência de vida, sem socialização, o que significa que o juiz se socializa, conhece o mundo já tendo uma caneta com peso enorme de poder, mas ainda sem a socialização que lhe dá a devida responsabilidade", afirmou Toffoli.

É no mínimo estranho que um presidente do STF teça críticas de forma tão generalizada contra membros do próprio Judiciário. Ainda mais partindo de alguém que, por duas vezes, por duas vezes, foi reprovado em concursos para juiz de primeira instância em São Paulo. Em 1994, na faixa dos 25 anos de idade, Toffoli fez o 165º Concurso de Ingresso à Magistratura, sem sucesso. Tentou de novo em 1995, no Concurso 166, e não passou. Nem na primeira fase. (informações do Conjur Aqui)

Como presidente do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), Toffoli defendeu a ênfase no diálogo com universidades e a formação dos bacharéis de direito que vão assumir cargos públicos, especialmente dos juízes. "Aquele garoto se torna uma autoridade aos 25 anos de idade, que ainda não tem conhecimento geral do que é a realidade, ele ainda está se formando e passa a ter o poder de afastar uma lei, um contrato, em nome de princípios constitucionais sem ter ideia do impacto daquele ato para toda a sociedade e não só para as partes que estão ali em um específico litígio", afirmou o ministro, em conferência em Nova York,nos Estados Unidos.

Ao contrário de Toffoli, que não passou em concurso para juiz de primeira instância, o juiz federal Sérgio Moro passou. Em 1996, aos 24 anos. Já em 1997, começou o mestrado em Direito do Estado na Universidade Federal do Paraná (UFPR), além de ter cursado um programa de estudos sobre lavagem de dinheiro na Escola de Direito de Harvard, em 1998, quando tinha apenas 26 anos. Entre 2007 e 2016, Moro deu aula como professor adjunto de Direito Processual Penal na UFPR, além de sua atuação como professor da graduação e da pós-graduação do Centro Universitário Curitiba (Unicuritiba).

Ainda muito jovem, Sérgio Moro assumiu a 13ª Vara Criminal de Curitiba – especializada em crimes financeiros e de lavagem de dinheiro – ficou conhecido nacionalmente por ser o juiz responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância.

Toffoli foi advogado do PT  e consultor jurídico da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e, mesmo sem ter passado sequer em um concurso para juiz de primeira instância, foi nomeado por Lula para o cargo de advogado-geral da União, função que exerceu até outubro de 2009, quando foi indicado por Lula para uma cadeira no STF, aos 42 anos.

Ao criticar jovens magistrados de forma generalizada, Toffoli parece ignorar que suas colocações estão bem distantes de uma regra. O juiz Sérgio Moro é apenas um exemplo.

Com informações do UOL
Postar um comentário

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

Comentarios