sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Membros do MP querem punir professores que fazem “doutrinação ideológica” Documento destaca necessidade de impedir estimulação sexual e doutrinação política

Resultado de imagem para seminar
O primeiro Congresso do “Ministério Público Pró-sociedade”, grupo com mais de 50 membros do MP nacional, terminou com a elaboração de um documento que defende, entre outras medidas, a necessidade de punir os professores que realizam práticas pedagógicas abusivas. Destacam-se as de “estimulação sexual”, e “doutrinação ideológica, política ou partidária”.
O texto, que traz 23 enunciados, destaca que cabe ao Ministério Público garantir aos pais o direito que os filhos “recebam a educação religiosa e moral que esteja acorde com suas próprias convicções.Defende também que os pais tenham acesso aos que os filhos aprendem em sala de aula, incluindo “registro audiovisual” para “cumprimento dos direitos e deveres inerentes ao poder familiar, guarda, tutela ou curatela”. Ou seja, filmar professores em sala de aula seria uma ação legítima.
Umas das sugestões destes membros do Ministério Público é solicitar aos conselhos nacionais a criação de comissão de defesa dos direitos humanos das vítimas, no caso pais ou alunos.
A proximidade do MP com a defesa da mesma filosofia que motiva o projeto Escola Sem Partido não é nova. Mês passado, mais de 100 membros do Ministério Público defenderam em nota técnica a constitucionalidade do projeto.
FONTE:https://noticias.gospelprime.com.br
Postar um comentário

Atenção

* A Revista Esperançanossa- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperançanossa

Comentarios